Estudantes do DF são selecionados para a 7ª edição do Campus Mobile

O programa selecionou 64 projetos entre os 217 inscritos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/02/2019 11:28

Os estudantes Diogo Telheiro do Nascimento, 24 anos, Pedro Terceiro Haluch Pino, 26, e Denilton Marinho Correia, 33, cursam ciência da computação no Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB) e foram selecionados para o programa Campus Mobile. Eles concorreram com o aplicativo Organic.GO, na categoria Smart Farms, uma plataforma que pretende facilitar a comercialização dos produtos orgânicos.
 
 
Arquivo pessoal
 

Criação do app

Diogo, Pedro e Denilton ficaram sabendo da oportunidade para participar do Campus Mobile após divulgação do Instituto. Para se cadastrarem no programa, tinham que escolher entre uma das frentes do projeto: educação, diversidade, smart cities e smart farm. Acabaram por optar pelo smart farm, que traz iniciativas que tenham o objetivo de melhorar a infraestrutura e a vida dos habitantes em regiões rurais.


Os amigos contam que, por ele gostar de cozinhar e ser adepto à produtos orgânicos e compra por pequenos produtores, a ideia do aplicativo foi de Pedro. Diogo resume o aplicativo como uma “plataforma que consegue aproximar produtores orgânicos, consumidores e facilitadores de insumo”. Com o apoio da coordenadora do curso de ciência da computação, os alunos fizeram uma pesquisa de mercado a fim de avaliar as necessidades encontradas nesse nicho. Com isso, obtiveram 58 respostas de consumidores e seis resposta de produtores, que influenciaram a viabilizar aplicativo. 

 Diogo explica que a plataforma ainda está em desenvolvimento, mas que a utilização será simples, “O produtor cadastra seus produtos e cria uma rede de conexão maior do que a existente no mercado atual.” Denilton fala que, durante a fase presencial do programa, que ocorrerá em fevereiro em São Paulo, será entregue apenas um Mínimo Produto Viável (MVP), pois, de acordo com o plano de negócios produzidos por eles, o tempo disponibilizado para a produção do aplicativo não é suficiente para entregar o produto pronto.

Ele conta que a fase presencial em São Paulo servirá como um “intensivo de produção” e que o MVP será entregue de acordo com todas as especificações estabelecidas no planos de negócios.

 Para eles, participar do Campus Mobile é uma ótima oportunidade de acréscimo no currículo e de aprendizado. “Participar de um grupo de desenvolvimento de aplicativo é hoje, no mercado, algo muito bem visto. Esse tipo de experiência é algo que a faculdade não necessariamente disponibiliza. É algo que você enriquece por fora, por vontade própria”, conta Diogo.

“Eu gosto do desafio de produzir algo dessa maneira, já participei de alguns projetos parecidos e trabalhar com projetos adiciona muito no currículo da nossa área. A experiência com um projeto de desenvolvimento, do plano de negócios, do frontend pro backend de um aplicativo, ainda mais em um aplicativo futuramente escalonado para outras plataformas fora o Android é muito enriquecedora” , ressalta Denilton.

Organic.Go


O aplicativo é uma plataforma web/mobile que possui como principal foco melhorar e facilitar o trabalho de produtores orgânicos, aproximá-los de bons fornecedores e reduzir a distância existente entre produtor e consumidores. A missão é facilitar e promover o contato de produtores orgânicos com consumidores e fornecedores, assim como prover consultoria de gestão de recursos, de modo a melhorar a qualidade dos alimentos consumidos pela população, tornar o uso de recursos mais eficiente e promover o aumento do network de pequenos agricultores, melhorando, assim a qualidade de vida da população.

A plataforma apresenta três interfaces: produtor: consumidor; fornecedor, tendo, em cada uma, aspectos relevantes para o público que está acessando, como descrito na sessão 'Inovação', trazendo praticidade, economia, inovações tecnológicas para produção, informação a respeito dos produtos orgânicos, conscientização da população e propiciando o crescimento de pequenos produtores e de fornecedores.

*Estagiária sob supervisão da editora Ana Sá