Feira de intercâmbio reúne 3 mil interessados em estudar no exterior

Evento continua até as 21h no Brasil 21. Representantes de cinco países palestram por lá

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/03/2019 18:29 / atualizado em 15/03/2019 12:02

A feira de intercâmbio Eduexpo reúne 3 mil estudantes, 35 expositores e sete palestrantes até as 21h desta quarta-feira (14), no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21. O objetivo é orientar interessados em fazer uma viagem educacional, dando dicas e mostrando opções de destino. As palestras abordam como estudar em Suécia, Holanda, Reino Unido, Canadá e França. 

Em busca de uma pós-graduação no exterior, Vitória Lopes, 18 anos, estudante de publicidade do Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), visitou o evento em busca de orientações. “Fiquei sabendo da feira por grupos de WhatsApp. Meu sonho é ir morar no Canadá e espero sair do evento com o intercâmbio definido”, explica. 
 
Aline Rocha/Esp. CB/D.A Press
 

Estudante de arquivologia, Mariana Britto, fez um intercâmbio há três anos em Dublin, na Irlanda. “Quero fazer de novo, mas, desta vez no Canadá, pois as pessoas de lá são mais abertas e meu curso está em alta lá”, explica. A estudante de 23 anos acredita que a experiência não é importante apenas para o currículo. “A gente cria uma capacidade de se adaptar a mudanças, voltamos com uma cabeça completamente diferente", esclarece.
 
Aline Rocha/Esp. CB/D.A Press
 

Representantes de cursos e faculdades do exterior apresentam propostas e recomendações para o público. A coordenadora do evento, Letícia Piatti, afirma que a Eduexpo é um primeiro contato dos alunos com o exterior. “Aqui, os estudantes conseguem informações mais diretas e, assim, podem montar um perfil de preferências”, afirma.

Segundo Letícia, os destinos mais procurados por brasileiros são Canadá, Austrália, Estados Unidos e Reino Unido. “Representantes dos países estão aqui para orientar os alunos em relação a visto, hospedagem, tipo de ensino e outras coisas”, conta. 
 

Diversas instituições expõem seus programas na feira 


D’Arcy Dornan é gerente de recrutamento internacional da Loyalist College, no Canadá. Ele acredita que o país é muito visado como destino de intercâmbio por estar vivendo uma boa fase. “A procura não vem só de brasileiros, mas do mundo todo, pois estamos em um momento em que está tudo funcionando bem”, esclarece. “Existe a possibilidade de ir estudar e ficar trabalhando. O governo canadense quer facilitar o acesso dos estudantes ao país”, continua. 
 
Aline Rocha/Esp. CB/D.A Press
 

Carol Pfister, coordenadora de admissões internacionais da Universidade Upper Iowa, nos Estados Unidos, está pela primeira vez no Brasil. “Eu convenci meu chefe depois de ver uma pesquisa que mostrava que muitos alunos brasileiros iam para a América”, diz. Carol Pfister observa que a universidade oferece condições de aperfeiçoamento da língua inglesa para estrangeiros. “Temos um programa de idioma muito forte. Após a experiência conosco, não será necessário que o aluno emita um diploma de proficiência para entrar no programa de graduação.” Dessa forma, se o estudante fizer o programa de línguas, fica dispensado de fazer os testes de proficiência caso decida fazer graduação na instituição. 
 
Aline Rocha/Esp. CB/D.A Press
 
 
*Estagiária sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa