Mobilização de estudantes contra cortes chega às cincos regiões brasileiras

Em defesa da educação pública, universidades, institutos e colégios federais promovem assembleias e atos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/05/2019 13:54 / atualizado em 09/05/2019 14:07

Com o anúncio do Ministério da Educação sobre bloqueio de cerca de 30% do orçamento das instituições federais, movimentos sindicais e estudantis em todo o país começaram a articular assembleias, atos e a paralisação nacional de 15 de maio.

Durante esta semana, diversas universidades se organizaram para discutir e definir a participação no ato do Dia Nacional de Desfesa da Educação, promovido junto à União Nacional dos Estudantes (UNE), em 15 de maio. 

Segundo a entidade, cerca 52 assembleias ocorreram ou estão planejados para os próximos dias em 21 universidades. As reações em defesa da rede federal de ensino alcançaram as cinco regiões do país. A União brasileira de Estudantes Secudaristas (Ubes) divulga que institutos de 21 dos 26 estados estão se mobilizando.
 
 
Manifestações
A comunidade acadêmica da Universidade Federal da Bahia (UFBA) organizou um protesto na manhã de quarta-feira (6) em defesa da própria e de todas as instituições afetadas. Segundo a Superintendência Municipal de Trânsito de Salvador, cerca de 500 pessoas participaram do ato. No mesmo dia, alunos, pais e professores de colégios federais manifestaram em frente ao Colégio militar do Rio de Janeiro, na Tijuca, onde o presidente Jair Bolsonaro comemorava os 130 da instituição em uma cerimônia. Cerca de 300 protestantes contavam com a presença de guardas municipais e integrantes da Polícia do Exército para a proteção do Bolsonaro.
 
 
Reprodução/Instituto Federal da Bahia/Ubes

A Universidade Federal Fluminense (UFF) de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, foi palco de manifestação contra os cortes orçamentários. Cerca de 200 pessoas participaram do ato na tarde de quarta-feira (8). No câmpus do Gragoatá, em Niterói, Região Metropolitana do Rio, alunos e professores da UFF protestaram no mesmo dia. De acordo com organizadores, foram cinco mil participantes.

Apoio
A União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes) lançou uma campanha em defesa dos institutos federais de educação, a #TiraAMãoDoMeuIF. Veinculada principalmente nas redes sociais, a iniciativa também convida os estudantes a participarem da paralisação nacional da educação. 

Outras instituições também se manifestaram contra os cortes orçamentários, como a Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades, a Associação Nacional dos Pós-Graduandos (ANPG), a Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas no Brasil (Fasubra), o Sindicato Nacional dos Técnicos de Nível Superior das Ifes (Atens), a Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico (Proifes) e a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).