Ministério da Educação garante que todas as bolsas da Capes serão mantidas

Capes afirma que bolsas cortadas representam 1,75% das 200 mil oferecidas. Economia esperada é de R$ 50 milhões em 2019

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/05/2019 18:11 / atualizado em 09/05/2019 20:17

Divulgação

Durante coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (9), o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Anderson Ribeiro Correia, afirmou que as bolsas em vigor no Brasil e no exterior serão mantidas. A mesma garantia foi dada pelo Ministério da Educação (MEC), em comunicado publicado on-line.


O MEC também esclareceu que as bolsas ociosas, que ainda não foram oferecidas para estudantes e estão paradas por até um ano, serão cortadas por uma questão de contingenciamento. Só que universidades e estudantes rebatem essa versão, dizendo que o que o MEC chama de bolsas "ociosas", na verdade, são benefícios que pertencem a alunos que defenderam trabalhos recentemente e alunos aprovados em processos seletivos ou em andamento. 

Segundo a pasta, o contingenciamento foi realizado para sanear as contas públicas do governo federal, com bloqueio preventivo de 1,75% das bolsas, representando cerca de 3474 alunos. A economia seria de cerca de R$ 50 milhões de reais em 2019. Ao todo, a pasta oferece 200 mil bolsas. 

Correa apontou ainda que os programas mais bem avaliados, que possuem notas 6 e 7, serão preservados. Bolsistas no exterior que retornarão para conclusão também não entrarão na medida. Segundo ele, as ações poderão ser revertidas caso ocorra melhoria na situação econômica do país. 

O presidente da pasta disse ainda que a Capes reabrirá 1,2 mil bolsas dos programas de Excelência Internacional.  

Confira a nota do MEC na íntegra:

"Todas as bolsas concedidas serão mantidas no Brasil e no Exterior
 
A Capes oferece atualmente 200 mil bolsas. Desde ontem, 8, estão sendo analisadas as bolsas ociosas, isto é, que ainda não foram concedidas para estudantes. Essas bolsas estavam paradas por até um ano.

Com o contingenciamento, realizado para sanear as contas públicas do governo federal, foi realizado o bloqueio preventivo de 1,75%, o equivalente a 3.474 mil bolsas. Cabe ressaltar, que o contingenciamento é um esforço de toda a Esplanada.

A decisão foi tomada para que as bolsas em curso não fossem prejudicadas. Além disso, a Capes vai reabrir 1,2 mil bolsas dos programas de Excelência Internacional, que possuem notas 6 e 7, as maiores na avaliação da Capes."