UnB ocupa 15ª posição entre as melhores universidades da América Latina

Das 150 instituições classificadas pela revista britânica Times Higher Education (THE), a PUC-Chilena assume a liderança

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/06/2019 12:03 / atualizado em 19/06/2019 12:11

Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press

 
A Universidade de Brasília (UnB) alcançou a15ª posição no ranking das melhores universidades da América Latina, de acordo com levantamento da revista britânica Times Higher Education (THE). Na edição passada, a instituição ocupava o 16º lugar. O Brasil tem 12 universidades entre as 20 melhores colocadas. 

Pela primeira vez, o Brasil não lidera o ranking. A Pontifícia Universidade Católica do Chile (PUC do Chile)  lídera  este ano. Ano passado, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) conquistou a liderança, desbancando a Universidade de São Paulo (USP). Este ano, a estadual de Campinas  caiu para a terceira posição. Outras quedas registradas em relação ao último ano foram: Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), do Rio de Janeiro (UFRJ), da Bahia (UFBA), de São Carlos (UFSCar). 

A reitora da UnB, Márcia Abrahão, parabenizou a comunidade acadêmica da instituição pelo feito. Em uma publicação nas redes sociais ela escreveu: "Parabéns à nossa comunidade! Resultado de trabalho sério e de alta qualidade". A universidade é a mais bem conceituada de Brasília. 

Das 150 instituições da América Latina que aparecem no ranking, 52 são brasileiras. Segundo o relatório, as quedas das universidades indicam uma necessidade de dar mais atenção às pesquisas. "Esta instituição, bem como várias outras brasileiras, teve menor pontuação por impacto de citações este ano, o que sugere que o país deve dar mais atenção à qualidade da pesquisa para evitar queda maior no futuro", afirma o documento. 

 A publicação da revista britânica analisou cinco aspectos das entidades. ensino (ambiente de aprendizagem); pesquisa (volume, renda e reputação); citações (influência da pesquisa); perspectiva internacional (pessoal, estudantes e pesquisa); e renda da indústria (transferência de conhecimento).

Confira a lista completa aqui.