Publicidade

Correio Braziliense

Monja Coen inspira calouros da UnB

A missionária budista deu palestra de boas-vindas no câmpus Darcy Ribeiro da UnB, que começa o semestre em meio a uma crise orçamentária


postado em 14/08/2019 19:30 / atualizado em 14/08/2019 20:19

 
Durante evento de boas-vindas no Centro Comunitário Athos Bulcão da Universidade de Brasília (UnB), na manhã de ontem (14), a monja Coen exaltou a importância de os estudantes valorizarem a universidade pública, além de contribuírem para o desenvolvimento dela. A missionária oficial da tradição Soto Shu do zen-budismo tem agenda cheia e foi convidada pela Reitoria há mais de um ano para dar as boas-vindas aos cerca de 5 mil novos alunos da instituição. Um convite aceito com alegria, pois define a universidade como “um centro de desbravamento da mente”, com a importante missão de prover educação, que, para a presidente do Conselho Religioso da Comunidade Zen Budista Zendo Brasil, liberta e torna a sociedade melhor. “Quanto mais pessoas tiverem a expansão de consciência que a educação permite, mais nós teremos seres mais amáveis, mais cuidadores e mais responsáveis”, afirmou em entrevista ao Correio.
 
A missionária budista inspirou estudantes na volta às aulas(foto: Ed Alves/CB/D.A. Press)
A missionária budista inspirou estudantes na volta às aulas (foto: Ed Alves/CB/D.A. Press)
 
A autora de livros sobre espiritualidade e consciência promove o princípio da não violência e da cultura de paz, prega harmonia, equilíbrio e amor e fez uma meditação guiada com o público, convidando os estudantes a um momento de respiração consciente. Uma técnica simples que pode ajudar a acalmar a mente, algo tão necessário entre universitários lidando com pressões de diversos lados. Entre as lições que a monja abordou no evento está a da compaixão. “Cada um só pode dar aquilo que tem.” Para explicar o ensinamento, relatou um episódio vivenciado por uma mestra budista que conheceu no Japão, onde viveu por 12 anos. Essa professora e outras monjas passavam pelas ruas pedindo esmola. “Estava frio, e um senhor jogou um balde de água suja nas monjinhas. E ela disse: ‘o que podemos fazer é agradecer’. Não dizendo: ‘jogue mais água’. Mas se é só isso que ele pode dar, podemos sentir pena”, ensinou. Para além da instrução formal da universidade, a vida cotidiana está cheia de lições para quem estiver aberto a aprender.

Estudantes participam de meditação guiada(foto: Ed Alves/CB/D.A. Press)
Estudantes participam de meditação guiada (foto: Ed Alves/CB/D.A. Press)
Até mesmo o momento de contenção orçamentária que as instituições federais de ensino superior enfrentam pode servir para isso. Pois, da crise, ensina a monja, surgem transformações e novas soluções. Em entrevista ao Correio, a reitora da UnB, Márcia Abrahão, ponderou as complexidades atuais, entre elas, o corte de verba para as universidades federais. “Estamos muito felizes com a chegada de mais 5 mil alunos de graduação, mais os de pós, mas é preciso dizer que eles chegam num momento difícil”, disse. “Acabamos de reduzir 30% do orçamento dos institutos e das faculdades esta semana. Estamos recolhendo em função dos bloqueios orçamentários”, observou. “Nós esperamos que os estudantes se conscientizem desse momento difícil e do papel deles em defesa da universidade.” Antes da palestra da monja Coen, a reitora da UnB, Márcia Abrahão, e o vice-reitor, Enrique Huelva, deixaram uma mensagem de boas-vindas aos estudantes e reforçaram o propósito de manter as características da universidade mesmo em meio à crise.

A reitora Márcia Abrahão e o vice-reitor Enrique Huelva(foto: Ed Alves/CB/D.A. Press)
A reitora Márcia Abrahão e o vice-reitor Enrique Huelva (foto: Ed Alves/CB/D.A. Press)

(foto: Ed Alves/CB/D.A. Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A. Press)

Quem é Monja Coen?

A cara do budismo no Brasil

A paulista Cláudia Dias Baptista de Souza, 72 anos, passou a ser chamada de monja Coen após a ordenação, em 1983. Antes disso, morou por 12 anos no Japão. Estudou direito na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e trabalhou como jornalista. Teve uma filha, divorciou-se, chegou a ser presa com drogas, viveu em Los Angeles, quando se interessou pelo budismo. Depois de se tornar monja, chegou a se casar novamente com um monge e se separou. Ela tem sido convidada a palestrar nos mais diversos tipos de instituições, desde bancos, escolas, hospitais, universidades, órgãos públicos, e até a Presidência da República do Brasil. Publica vídeos num canal no YouTube com mais de 1 milhão de seguidores (). Reside no templo Tenzui Zenji, em São Paulo. Saiba mais
 

#InspiraUnB

O segundo semestre letivo começou na segunda-feira (12) na Universidade de Brasília. A reitora Márcia Abrahão relatou que tomou diversas providências para o início do semestre. “Com relação à segurança, instalamos câmeras, corredores de segurança, iluminação, poda… O gramado está todo cortado”, afirmou. A aula inaugural #InspiraUnB com a monja Coen para os estudantes diurnos teve como tema “vivência universitária e saber transformador”. nesta quinta-feira (15), às 19h30, será a vez de Duilia de Mello, pesquisadora da Nasa e vice-reitora da Universidade Católica de Washington, abrir o semestre noturno, ao palestrar sobre o tema “O céu não é o limite”, no Centro Cultural da AdUnB.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

Confira as vagas abertas para trainne 12:50 - 19/08/2019 - Compartilhe

Confira as vagas abertas para trainne

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade