Publicidade

Correio Braziliense

Menos tempo no engarrafamento: ônibus expresso liga Brasília e Entorno

Estudantes da UnB que moram no entorno do DF comemoram o avanço, afinal menos tempo no engarrafamento significa mais disponibilidade para estudar


postado em 12/11/2019 19:30 / atualizado em 12/11/2019 19:54

Valparaíso e Cidade Ocidental serão laboratório da parceria, que pode se estender para outras localidades do Entorno Sul(foto: Lanna Silveira/Esp.CB/DAPress)
Valparaíso e Cidade Ocidental serão laboratório da parceria, que pode se estender para outras localidades do Entorno Sul (foto: Lanna Silveira/Esp.CB/DAPress)

 
A jornada de quem estuda no Distrito Federal (DF) e mora no entorno sul pode ficar menos cansativa com a criação de uma linha semiexpressa entre a rodoviária metropolitana e as cidades goianas, Valparaíso e Cidade Ocidental. 
 
Uma parceria entre a Secretaria de Mobilidade Urbana do DF, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a empresa União Transportes Brasília (UTB) permitirá que as linhas que atendem a região circulem na faixa exclusiva do BRT a partir da próxima segunda-feira (18). 

Proposta antiga

Segundo a diretora da UTB, Mariana Caixeta, 35, a autorização para andar na faixa exclusiva para o BRT é um desejo da empresa desde que assumiram o trecho, em 2014. “Nós tentamos conseguir a autorização, mas a ANTT informou que era responsabilidade do Distrito Federal e que não tinha como fazer nada. Dessa vez, eles [ANTT] que nos procuraram.”
 
A UTB foi selecionada para um período de testes, caso dê certo, o benefício se estenderá a todas as empresas que atuam no entorno sul, como Rota do Sol (Lago Azul) e Grande Brasília (Luziânia). Para isso, a UTB disponibilizará 30 novos ônibus distribuídos da seguinte forma: 10 para a linha Ocidental – Brasília, 10 para o Céu Azul e 10 para Valparaíso 1 e 2. 
 
“Esses ônibus serão semiexpressos, não pararão enquanto estiverem na faixa do BRT”, explica Mariana. Isso ocorrerá porque os ônibus da empresa não são preparados para a faixa exclusiva, as portas abrem do lado oposto ao das paradas encontradas pelo caminho do BRT. 

Caminho mais difícil

O psicólogo Ítalo Salgado, 26, morador de Valparaíso de Goiás e recém-formado na Universidade de Brasília (UnB), afirma que é mais difícil para os moradores de cidades distantes se manterem na universidade. Fatores como tempo excessivo no trânsito levam ao desanimo e cansaço, o que limita as horas de estudo, prejudicando o aluno e levando-o, muitas vezes, à reprovação. 
 
“Os alunos que moram em cidades próximas como Guará e Cruzeiro, por exemplo, demoram um tempo muito menor entre a residência e o local de estudo. Eles têm mais tempo para comer, estudar e descansar depois das aulas. Quem mora no Valparaíso, por exemplo, leva de duas a três horas até a rodoviária e, depois, ainda é preciso pegar o ônibus para a UnB”, disse. 
 
Alguns estudantes da UnB relatam perder entre 2h e 4h presos no trânsito desde que saem de casa(foto: Lanna Silveira/Esp.CB/DAPress)
Alguns estudantes da UnB relatam perder entre 2h e 4h presos no trânsito desde que saem de casa (foto: Lanna Silveira/Esp.CB/DAPress)
  
 
Ítalo destaca a necessidade da implantação de ônibus direto entre cidades do entorno e a UnB “atualmente existe um ônibus do Valparaíso para a UnB e um da Cidade Ocidental, mas os horários são ruins, sem contar que no Valparaíso 1, não existe ônibus direto, quem quiser pegar um ônibus para a UnB precisa se deslocar até a rodovia, e, preciso lembrar, não moramos em um lugar seguro”. 
 
Thayná Porto, 22, estudante de Ciências Sociais na UnB há 10 semestres, concorda que é estressante passar tantas horas no trânsito. Ela conta que o tempo gasto em engarrafamentos entre Valparaíso e a UnB atrapalhou seu desempenho acadêmico. “O desgaste físico de passar quatro horas de trajeto entre ir e voltar para universidade é mentalmente exaustivo. A gente perde muito tempo de estudo dentro de um carro ou ônibus, muitas vezes em pé. Eu poderia usar esse tempo para descansar ou estudar.”
 
A estudante acha boa a possibilidade de demorar menos tempo no trânsito, mas não considera que essa seja grande conquista. “Acredito que é um avanço, mas não chamaria de conquista. É o mínimo que eles podem fazer depois de prometerem que o BRT iria até Luziânia.”

Novos ânimos

O estudante Rodrigo Balbino, 20, está no segundo período de engenharia de software na Faculdade do Gama (UnB). Nesse semestre, ele decidiu cursar algumas disciplinas no campus Darcy Ribeiro, na Asa Norte, mas o engarrafamento pela manhã tem gerado muito desgaste, por isso, a ideia dos semiexpressos o deixou animado.
 
“Talvez agora o ônibus de 5h40 consiga chegar na rodoviária antes das 8h, o que acaba incentivando até mais gente a usar o transporte coletivo e pode diminuir o trânsito nesse horário”, prevê. Rodrigo concorda que o tempo gasto se deslocando até as aulas seria melhor aproveitado para descansar. “Se eu tivesse certeza que o ônibus das 6h conseguiria chegar na rodoviária a tempo, não precisaria acordar tão cedo para pegar o de 5h40. Sempre estudo até tarde, quanto mais tempo disponível para dormir, melhor.” 

Fique sabendo 

Os novos horários já estão disponíveis no site da UTB. Os ônibus semiexpressos são identificados com a letra “E” na frente.
 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
MEC lança diploma digital 20:01 - 10/12/2019 - Compartilhe

MEC lança diploma digital

publicidade
MEC lança diploma digital. Acompanhe ao vivo 15:04 - 10/12/2019 - Compartilhe

MEC lança diploma digital. Acompanhe ao vivo

publicidade
Começa a primeira edição da FeLiB 14:46 - 09/12/2019 - Compartilhe

Começa a primeira edição da FeLiB

publicidade
Na passarela: a diversidade 17:35 - 08/12/2019 - Compartilhe

Na passarela: a diversidade

publicidade