Publicidade

Correio Braziliense

Graduandos de medicina da Escs reforçam atendimento do TeleCovid

Cerca de 50 alunos voluntários vão ajudar a esclarecer dúvidas sobre o coronavírus. Iniciativa vai abranger todo o tempo na luta contra o vírus


postado em 30/03/2020 21:11 / atualizado em 30/03/2020 21:54

Nesta segunda-feira (30/3), o TeleCovid começou a dispor da participação dos estudantes do último ano de medicina da Escola Superior de Ciências da Saúde (Escs). Cerca de 50 alunos vão ser voluntários durante todo o tempo de combate à pandemia do coronavírus. Além de oferecer atendimento remoto, darão um reforço às equipes nos três turnos.
 
(foto: Geovana Albuquerque/Saúde)
(foto: Geovana Albuquerque/Saúde)
 
“Este é um momento único na saúde pública mundial”, relata o diretor do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Alexandre Garcia. “Ser voluntário no enfrentamento ao coronavírus é um estímulo para os estudantes verem que também precisamos de médicos generalistas, voltados para a atenção primária. Hoje, a maioria dos alunos de medicina quer fazer uma superespecialização. Não é errado se especializar, mas também é importante atuar na linha de frente. Além disso, é o comprometimento social da profissão”, salienta. 

O diretor explica que os alunos, separados em grupos de seis por turno, vão atender as chamadas e passar instruções desde a maneira correta de higienizar as mãos, até como atuar em situações mais graves. “Como eles possuem conhecimento médico, conseguem identificar se a pessoa do outro lado da linha está com problemas respiratórios que possam ser indicativos de procurar uma unidade de saúde”, aponta.

Dever social


O estudante Giovanni De Toni, 26 anos, mostra que esta é uma forma de exercer a cidadania e de retribuir à sociedade todo o conhecimento conquistado. “Ser voluntário nessa ação de enfrentamento à Covid-19 me faz enxergar com um olhar epidemiológico que a saúde depende de vários setores da sociedade”, avalia. “Cada pessoa tem um papel importante na saúde coletiva. Nesse contexto que estamos vivendo, quero ajudar e sei que só terei ganhos com isso, como crescimento profissional e pessoal”.

Thiago Blanco, médico e professor da Escs, aponta que o trabalho de voluntariado nessa situação é um compromisso do médico. “Temos obrigação moral e ética de ajudar nesse momento”, diz. “A Covid-19 é um enfrentamento de todos”.  De acordo com o professor, a suspensão temporária das aulas está servindo para ajudar nessa luta.

Além dos estudantes, serão disponibilizados professores de diversas formações para orientar e supervisionar o trabalho dos alunos durante todo o período de pandemia e de trabalho voluntário na unidade de teleatendimento. A estimativa é que o TeleCovid receba o trabalho voluntário de alunos de medicina de mais duas instituições privadas.

TeleCovid


O TeleCovid registra uma média de mais de 1,7 mil ligações por dia em suas 20 linhas telefônicas. A iniciativa é composta por servidores das polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, SLU, BRB, CEB, Caesb e Defesa Civil, além do Samu e da Secretaria de Saúde (SES).

O teleatendimento funciona 24 horas. No período da noite, o serviço é prestado diretamente por técnicos de enfermagem do Samu, que repassam a ligação para enfermeiros da unidade caso seja preciso. Dependendo da situação, os profissionais tiram as dúvidas pertinentes e informam se a pessoa se adequa ou não nos sintomas de coronavírus. Também é mostrada a importância do isolamento domiciliar, diminuindo, assim, a procura desnecessária de pacientes às unidades de saúde.

Durante a ligação, se a pessoa for classificada como um possível caso, será orientada, a depender da situação, a dirigir-se à Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de casa, ou a contatar o Samu, pelo telefone 192.
 
Com informações da Agência Brasília 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade