Ensino_EnsinoSuperior

UnB está entre as 10 melhores universidades brasileiras em ranking

De acordo com o levantamento anual feito pela QS Quacquarelli Symonds, a Universidade de São Paulo (USP) é a instituição mais bem classificada d

Ana Luísa Santos*
Ana Luísa Santos*
postado em 10/06/2020 06:00
A Universidade de Brasília (UnB) subiu no ranking de melhores universidades brasileiras e, agora, está entre as 10 mais bem colocadas de acordo com o QS World University Rankings, feito pela consultoria global de ensino superior QS Quacquarelli Symonds.

UnB está entre as 10 melhores universidades brasileiras em ranking

Na última divulgação dos dados, a UnB ocupava a 12; colocação, hoje, a instituição ocupa o 10; lugar. O levantamento foi divulgado nesta quarta-feira (10/6).

Destaque brasileiro fica com a USP

A Universidade de São Paulo (USP) continua sendo a instituição brasileira com maior destaque no ranking. A USP, no pódio mundial, subiu da 116; para a 115; posição ; o melhor desempenho desde o início da publicação do levantamento.

Este é o terceiro ano consecutivo em que a USP melhorou de classificação mundialmente. De acordo com a QS, a ascensão da USP, no contexto mundial, deve-se principalmente à melhoria no desempenho na área de pesquisa.

USP lidera o ranking de melhores universidades brasileiras

A instituição subiu 38 posições no indicador de citações por faculdade, que mede o impacto dos trabalhos acadêmicos produzidos por professores das universidades. A USP está agora entre as 350 principais instituições de pesquisa do mundo.

Segundo a opinião de acadêmicos consultados pela QS, a melhor universidade do Brasil é a USP, que recebeu a 48; melhor nota do mundo (88.6.2/100) no indicador de reputação acadêmica.

De acordo com 44 mil empregadores consultados pela QS, os melhores graduados são aqueles provenientes da USP, que recebeu a nota 67.4/100 no indicador de reputação entre empregadores. No entanto, a USP não faz mais parte do top 100 global em empregabilidade de graduados.

Ensino superior do país se torna menos atraente para estrangeiros

Entre as instituições brasileiras, depois da Universidade de São Paulo, aparecem a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que ocupam a 2; e a 3; colocações, respectivamente.

Apesar de estar na segunda posição nacional, a Unicamp caiu internacionalmente. No ranking geral, a Universidade Estadual de Campinas baixou 19 posições, ficando em 233; lugar.

Apesar de algumas melhorias, a QS analisou dados que mostram que o setor de ensino superior do Brasil se tornou menos atraente para professores e estudantes internacionais.
[SAIBAMAIS]

Todas as 14 universidades brasileiras presentes no ranking viram suas pontuações nos indicadores de apelo internacional, que é a proporção de corpo docente internacional e proporção de alunos internacionais, caírem no último ano.

Ranking com a colocação das universidades brasileiras com a classificação mundial e nacional

Destaques mundiais

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) ficou em primeiro lugar no ranking mundial pelo nono ano seguindo. As três melhores universidades do mundo continuam sendo americanas: em 2; lugar está a Universidade Stanford e, em 3;, a Universidade Harvard. A melhor instituição do Reino Unido e da Europa é a Universidade de Oxford, que caiu do 4; para o 5; lugar.

Instituto de Tecnologia de Massachusetts lidera ranking mundial de melhores universidades

Das 153 universidades americanas ranqueadas, 112 tiveram uma queda de posição, enquanto apenas 34 registraram uma melhoria. O fato se deve principalmente a um declínio coletivo nos indicadores de reputação acadêmica e citações por faculdade.

A universidade mais bem colocada da América Latina é a Universidade de Buenos Aires, que atingiu a melhor colocação até o momento, ficando em 66; lugar, se mantendo a líder no continente pelo sexto ano consecutivo. A Universidade Nacional Autônoma do México (100;) ficou entre as 100 melhores universidades pela primeira vez.

Ranking geral das universidades do mundo todo

Saiba mais

A QS utiliza seis indicadores para compilar o ranking:

- Reputação acadêmica (baseado nas respostas de uma pesquisa feita com mais de 94 mil acadêmicos);
- Reputação entre empregadores (baseado nas respostas de uma pesquisa feita com mais de 44 mil empregadores sobre a relação entre a instituição e a empregabilidade dos graduados);
- Citações por faculdade (medindo o impacto da pesquisa);
- Proporção de docentes por aluno (o número de alunos é dividido pelo número de docentes, dando uma indicação do provável tamanho das classes em cada uma das instituições analisadas);
- Proporção de docentes internacionais (uma das duas medidas de internacionalização da QS);
- Proporção de estudantes internacionais (fornece uma indicação da capacidade de uma universidade de atrair talentos de todo o mundo).

Para visualizar o ranking completo basta acessar o site.

*Estagiária sob supervisão de Ana Paula Lisboa

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação