Professoras do DF são finalistas do Prêmio Professores do Brasil

Projetos das educadoras no ensino fundamental de escolas públicas brasilienses estão entre os seis vencedores da etapa regional. Uma das docentes, Vandete Pereira Lima, foi premiada duas vezes: além de vencer a etapa regional do prêmio tradicional, ganhou a categoria temáticas especiais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/10/2018 20:28 / atualizado em 15/10/2018 20:41

Duas professoras do Distrito Federal estão entre os finalistas do Prêmio Professores do Brasil 2018. Vandete Pereira Lima, da Escola Classe 8 do Cruzeiro, e Maria de Lourdes Severino Costa, do Centro de Ensino Fundamental (CEF) Cerâmicas Reunidas Dom Bosco, venceram a etapa regional da 11ª edição do concurso. Agora, elas fazem parte do grupo de 30 educadores que disputarão a fase nacional do evento, que será no Rio de Janeiro em 29 de novembro. Ao todo, serão seis ganhadores, um para cada categoria do prêmio (saiba quais são abaixo).O resultado foi divulgado nesta segunda-feira (15), Dia do Professor. 
 
 
Maria Alves Rolim
 
De acordo com o Ministério da Educação (MEC), 4.040 professores da educação básica da rede pública de todo o país se inscreveram na competição, cujo principal objetivo é reconhecer o trabalho de docentes que contribuem de forma relevante para a área no Brasil. Cada ganhador da etapa regional levará para casa R$ 7 mil e troféu, além de ter a viagem custeada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Os seis vencedores nacionais ganharão ainda R$ 5 mil adicionais e outro troféu.

O  MEC divulgou, também, o nome de outros 20 professores, vencedores da categoria Temática Especial. A professora Vandete aparece novamente na lista, dessa vez como vencedora na temática “Boas práticas no uso de linguagens de mídia para as diferentes áreas de conhecimento no ensino fundamental e no ensino médio”. Pelo feito, Vandete receberá R$ 5 mil e participará do programa Professor Presente, da TV Escola.

Conquista dupla


“Estou muito feliz. Para quem fez a inscrição despretensiosamente, não poderia imaginar que estaria assim hoje”, comemora a professora Vandete Pereira Lima, que não sabia da vitória na etapa regional da categoria “anos iniciais do ensino fundamental / 1º, 2º e 3º anos” até ser contatada pela reportagem do Correio Braziliense. A conquista veio com o projeto “Uma mensagem para você”, desenvolvido na Escola Classe 8 do Cruzeiro com alunos do 2º ano do ensino fundamental. Tudo começou em 2017, quando Vandete teve a ideia de se comunicar com os pais dos alunos pelo WhatsApp.
 
 
Maria Alves Rolim
 
Ela levou a ideia para uma reunião com os pais e, dos 24 presentes, apenas um mãe não usava o aplicativo. “Quando contei para os alunos que eu conversaria com os pais deles diretamente pelo WhatsApp, ouvi aquele bochicho das crianças e percebi que eles se interessavam pelo aplicativo também", lembra. A pedagoga viu uma oportunidade para aperfeiçoar a leitura e a escrita dos pequenos em sala de aula. “A maioria dessas crianças é da Estrutural, não tem celular, mas a tecnologia está na vida delas, e há interesse por isso", diz. Foi então que a professora imprimiu imagens de smartphones em folhas de papel e fez linhas para as crianças escreverem na tela do aparelho. 

O objetivo era incentivar a comunicação entre os alunos da turma por meio da escrita e da leitura, respeitando cada fase de desenvolvimento. “A escrita tem todo um significado diferente para elas no WhatsApp, além de ser uma comunicação multimodal. Quem não sabia escrever podia botar um coração, desenhar, fazer uma cena, afinal, isso são formas de comunicação”, explica. A professora criou um quadro de envelopes com os nomes das crianças e estabeleceu várias formas de comunicação entre elas. 

Os alunos conversavam pelos celulares de papel e interagiam entre si. A comunicação, às vezes, era definida por sorteio, em que cada um tinha de escrever para outro sobre um determinado tema. “Aproveitei para estudar e realizar com as crianças todas as modalidades de escrita. Comecei a trabalhar bilhete, mas aí o projeto se expandiu e estudamos receita, fizemos convite. No Dia das Crianças, elas escreveram pedindo presentes para os pais”, relata. 
 
 
Maria Alves Rolim
 
Os resultados do projeto não demoraram a aparecer, conta, feliz, a educadora. “Os pais reconheceram que houve uma melhora na capacidade de leitura dos filhos. Eles dizem ‘meu filho agora abre meu aplicativo e simplesmente lê minhas mensagens’. As crianças se sentem alegres quando o fazem e isso incentivou que elas aumentassem as ferramentas de escrita”, afirma. A simplicidade é um dos trunfos da iniciativa. “As crianças são loucas por celular. Eu só aproveitei a motivação delas e fiz algo simples, objetivo e barato, trazendo algo que elas desejavam usar”, complementa. 

Radiante com a conquista dupla no Prêmio Professores do Brasil, Vandete, mestre em educação física pela Universidade Católica de Brasília (UCB), comparecerá à premiação nacional mais do que satisfeita com o que alcançou. “Não sei quem são os concorrentes, porque não bisbilhotei, mas estou absolutamente contente em ter chegado até aqui”, finaliza. 

Incentivando a leitura


A outra finalista que representará a capital federal no Rio de Janeiro vem de Planaltina. Maria de Lourdes Severino é professora no CEF Cerâmicas Reunidas Dom Bosco. Ela conquistou o prêmio regional na categoria “anos iniciais do ensino fundamental / 4º e 5º anos” com o projeto “Produtor leitor: plantando histórias, colhendo os frutos”. A reportagem tentou contato com a professora, mas não obteve sucesso. 

Saiba mais sobre o Prêmio Professores do Brasil


Conheça as seis categorias tradicionais

1-Educação infantil/creche
2-Educação infantil/pré-escola
3-Anos iniciais do ensino fundamental/1º, 2º e 3º anos
4-Anos iniciais do ensino fundamental/4º e 5º anos
5-Anos finais do ensino fundamental/6º ao 9º ano 
6-Ensino médio 


Conheça as cinco temáticas especiais do prêmio especial, que já teve os vencedores finais divulgados

1-O esporte como estratégia de aprendizagem
2-Uso de tecnologias de informação e comunicação no processo de inovação educacional
3-Boas práticas no uso de linguagens de mídia para as diferentes áreas do conhecimento no ensino fundamental e médio
4-Práticas inovadoras de educação científica
5-Educação empreendedora


* Estagiário sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa