SEGURANÇA

Todos os malotes do Enem terão lacre eletrônico com GPS este ano

Após teste em 2012, sistema será adotado para todas as provas. Dispositivos têm GPS e garantem o acompanhamento dos horários de abertura e fechamento dos malotes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/07/2013 17:19 / atualizado em 23/07/2013 18:20

Todos os 63.340 malotes de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2013 terão lacre eletrônico. No ano passado, apenas 10 mil dos 50 mil malotes receberam o lacre, experiência que serviu como teste para a implantação na prova deste ano. Os dispositivos funcionam como um GPS, garantem o acompanhamento dos horários de abertura e fechamento dos malotes de prova, desde que saem da gráfica até o retorno com as provas preenchidas. O anúncio foi feito pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, durante coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira (23/7). No total, serão impressas 15,7 milhões de provas no exame deste ano, marcado para 26 e 27 de outubro.


“Estamos formando e ampliando o Enem para dar mais segurança para os estudantes. Com o lacre eletrônico sabendo exatamente onde e quando os malotes são abertos”, disse Maercadante. O ministro afirmou ainda que quase todos os concluintes do ensino médio vão participar do Enem este ano. Os candidatos são de 1.661 municípios brasileiros — 29 a mais do que no ano passado — e a prova será aplicada em 15.186 locais.

Entre chefes de sala, coordenadores e outros funcionários, a equipe do exame de 2013 contará com o apoio de 748 mil pessoas. A capacitação dos coordenadores está marcada para julho e a de chefes de sala, em setembro. Para os corretores da redação, o treinamento será presencial e a distância, totalizando 136 horas.

O ministério estima que o custo por aluno da prova será parecido ao do ano passado. O valor final será maior porque o número de estudantes também aumentou. “Ficará em torno de R$ 46, R$ 47, um terço do que paga a maioria dos vestibulares, que custam R$ 120 per capta, segundo a FGV (Fundação Getulio Vargas)”, afirmou Mercadante.

Redação
Mercadante comentou a ação movida pelo Ministério Público Federal no Ceará para garantir aos candidatos o acesso ao espelho das provas de redação simultaneamente à divulgação do resultado do Enem 2013. O ministro lembrou que foi firmado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que definiu o acesso dos participantes ao espelho de correção apenas para fins pedagógicos, devido à escala e à complexidade da aplicação e da correção da prova. “Já foi aprovado e decidido, temos total segurança jurídica sobre os procedimentos”, disse. “No ano passado, das 4 milhões de redações, debatemos seis”, completou o ministro.

Colaborou Mariana Niederauer