Conheça os primeiros colocados no PAS/UnB para ingresso no 1º/2019

Três estudantes com algumas das melhores notas na seleção contam suas histórias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/01/2019 19:47 / atualizado em 01/02/2019 11:27

 
 Os selecionados comemoram a conquista de conseguir uma vaga numa instituição de ensino superior pública. 
 
Entre eles, têm ainda mais motivos para festejar os que conseguiram classificação nos primeiros lugares da seleção. São os alunos que obtiveram as melhores notas.
 
Conheça as histórias de alguns dos campeões do subprograma 2016-2018 do PAS.
 
 
 

Maria Eduarda Ponte
1ª colocada do câmpus Darcy Ribeiro da UnB
Idade: 17 anos 
Curso: medicina
Argumento: 204.415

Aline Rocha/ Esp.CB/D.APress
Maria Eduarda Ponte, 18 anos, conseguiu a nota mais alta nesta edição do Programa de Avaliação Seriada e foi aprovada para estudar medicina. A dedicação nos estudos foi recompensada mesmo antes da aprovação na UnB. No 3º ano do ensino médio, foi bolsista no Colégio Pódion e, antes disso, desde a 7º ano do ensino fundamental, estudava com bolsa no Colégio JK. Antes disso, a adolescente foi aluna da Escola Classe 305 Sul. O segredo para o bom desempenho acadêmico, garante ela, não é nenhum mistério. "O principal é prestar atenção às aulas", conta. Ela tomou a decisão de se tornar médica durante o ensino médio.
 
"No 1º ano, eu queria tudo, porque gostava de tudo. Depois, vi que medicina englobava muita coisa e tive muito incentivo dos meus pais, do resto da minha família e de professores para tentar esse curso", lembra. A surpresa de ser aprovada em primeiro lugar foi recebida com muita alegria. "Eu tentava não pensar muito se passaria", admite. Liduana Ponte, 50 anos, mãe de Maria Eduarda, atesta que a filha sempre foi muito esforçada. "Eu estou muito feliz. Desde o momento que ela disse que queria medicina, tentei manter os pensamentos positivos. Ela sempre estudou muito e foi muito aplicada", comenta. A dedicação foi o motivo para que Liduana incentivasse a filha a concorrer a bolsas de estudo em escolas particulares. 
 
Aline Rocha/ Esp.CB/D.APress
 
 
"Não tirando o mérito da escola pública, mas eu queria que ela tivesse uma boa educação", explica a mãe que é professora do ensino fundamental na Secretaria de Educação. Quanto ao curso, a cearense diz que nunca direcionou a filha para medicina, mas sempre a orientou. "Eu falava para ela escolher bem a carreira. Nós somos uma família que vem de origem humilde", afirma. O pai de Maria Eduarda, o policial militar aposentado Francisco Cordeiro, 68 anos, está cheia de alegria. "Agora, é só festa. Eu tinha quase certeza que ela passaria, mas, em primeiro lugar, foi uma surpresa muito boa", comemora o cearense.

Bernardo Rocha Coutinho 
Arquivo pessoal

4º colocado do câmpus Darcy Ribeiro da UnB
Idade: 18 anos
Curso: engenharia de computação 
Argumento: 189.709

Bernardo Rocha Coutinho, 18 anos, teve a quarta maior nota do câmpus Darcy Ribeiro. O curso escolhido pelo jovem foi engenharia de computação. Bernardo passou para fazer a graduação tanto na UnB quanto na Universidade de São Paulo (USP). Apesar de ter ficado feliz com o resultado na cidade onde mora, o mineiro de Belo Horizonte optou por estudar em São Paulo. 
 
"Eu esperava ir bem no PAS, mas não ficar entre os primeiros colocados. Porém, como passei pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada) na USP, já estou providenciando tudo para minha matrícula. No mês que vem, eu me mudo", conta, feliz, o morador da Asa Sul. O jovem terminou o ensino médio no Centro Educacional Leonardo da Vinci. 
 
No Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), Bernardo conseguiu excelente nota na prova de matemática. Ele, que é filho de um gestor de contratos e de uma analista de sistemas, acertou 44 das 45 questões de matemática, o que o deixou 30 pontos acima da nota de corte do Sisu para o curso que queria, garantindo assim a aprovação em uma das duas vagas existentes para o sistema universal na USP.

Reprodução/Facebook
Lara Beatriz Souza
2ª colocada no câmpus Ceilândia
Idade: 17 anos
Curso: farmácia

A moradora de Taguatinga Sul Lara Beatriz Souza, 17, foi a segunda colocada no câmpus Ceilândia, sendo aprovada para o curso de farmácia. "Eu fiquei muito feliz com a aprovação. Eu estava bem confiante porque tirei notas boas nas outras etapas do PAS", conta.
 
O desejo de cursar farmácia surgiu ao longo do ensino médio, que ela terminou no ano passado no Colégio Marista Champagnat, em Taguatinga. “Eu sempre gostei das matérias de biologia e química; então, comecei a procurar os cursos que tinham mais a ver com isso e achei esse”, relata. Filha de dois servidores públicos, Lara afirma que os pais sempre a apoiaram. 
 
A adolescente costumava estudar em cada sempre que podia, sempre tendo como meta passar na UnB.  "Eu revisava os conteúdos e resolvia questões de provas anteriores. Meu sonho de ir para lá se deu pelo fato de ser uma instituição pública e focada em pesquisas, o que gosto", diz. 
 
*Estagiárias sob a supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa