Aluno da UnB cria vaquinha virtual para intercâmbio nos Estados Unidos

Rafael Ferreira foi aprovado no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) para cursar o 5° semestre de física, mas precisa de R$ 100 mil para arcar com esse sonho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/11/2018 14:45 / atualizado em 20/11/2018 16:47

Fazer intercâmbio é a meta de muitas pessoas, mas colocá-la em prática pode não ser tão fácil. Pesam no bolso dos estudantes os custos dos cursos, além de acomodação, alimentação e passagens aéreas. Para Rafael Ferreira, 20 anos, isso não parece ser obstáculo. O jovem, que cursa o 4º semestre da graduação de física na Universidade de Brasília (UnB), arrecada dinheiro para fazer o semestre seguinte no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), em Cambridge, Estados Unidos.

Arquivo pessoal
Tido como aluno destaque desde o ensino fundamental, Rafael conta que a paixão pela disciplina vem mesmo desde cedo. “Quando eu era criança, era muito curioso para saber como a natureza funciona. Amo a física.” Foi por meio da nota obtida no Programa de Avaliação Seriada (PAS) que Rafael ingressou na UnB. Na mesma época, ele prestou vestibular para a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e foi aprovado em 1° lugar por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “Ambas as instituições são renomadas. Então, pela maior facilidade, optei pela UnB, principalmente pela proximidade de casa”, explica. Mas o sonho de estudar fora sempre esteve nos planos. “Estudar numa instituição que é referência no mundo inteiro, e já recebeu inúmeros prêmios Nobel na área da física, seria um sonho realizado.” 

Um só objetivo

Com o propósito de ingressar no MIT, o universitário decidiu, ao longo dos últimos três anos, se dedicar intensamente aos testes que avaliam o nível de proficiência em inglês. Além do teste obrigatório que a instituição exige — Teste de Inglês como uma Língua Estrangeira (Toefl) —, ele fez ainda o American College Testing (ACT) e o Scholastic Assessment Test (SAT), que são recomendáveis e aumenta a possibilidade de aprovação. “Fiz inglês por dois anos na Casa Thomas Jefferson e consigo entender e falar o idioma com tranquilidade”, garante. 

 

Além da proficiência na língua, o MIT avalia as atividades extracurriculares e o histórico escolas, algo que para ele não é uma dificuldade. “Aqui na UnB existe o Índice de Rendimento Acadêmico (IRA), que é um número que vai de zero a cinco. Atualmente, o meu IRA é cinco”, afirma, observando que esta é a nota máxima do índice.

Viabilizar a viagem após aprovação 

A notícia da aprovação na instituição norteamericana chegou em 11 de junho deste ano. Agora chegou a vez de viabilizar a viagem e permanência naquele país. Um semestre no MIT custa U$ 25.570 dólares, o equivalente a R$ 100 mil. O valor não inclui passagens aéreas, visto, alimentação e acomodação. 

Como forma de arrecadar tamanha quantia, o jovem criou uma conta no site de financiamento coletivo Vakinha. A meta é arrecadar o valor até 31 de janeiro, data em que ele precisa estar no MIT. Até o momento, R$ 12 mil já foram doados. “A vaga é resultado de muitas horas de estudo e dedicação. Eu tenho fé que vou conseguir arrecadar o valor. Participo de um projeto voluntário em escolas públicas, onde incentivo os alunos a buscarem seus sonhos. Quero ser o exemplo de que nada é impossível”, promete. 

Arquivo pessoal
Em ritmo de preparação, o estudante se dedica intensamente aos estudos das matérias do 4° semestre: relatividade e física quântica, métodos computacionais A, laboratório de ondas e oscilações, mecânica clássica B e física matemática. Segundo ele, essa é uma maneira de chegar preparado no exterior. “Isso me servirá para compreender os conteúdos mais avançados da física que serão ministrados lá.” Apesar do sonho de estudar fora, Rafael não planeja morar nem iniciar a carreira profissional nos Estados Unidos. “Pretendo voltar ao Brasil e me tornar professor e pesquisador na área de física, pois quero poder compartilhar os conhecimentos que pude adquirir ao longo da minha vida.”

Protagonismo desde a escola

Rafael Ferreira participou do concurso de bolsas do Centro Educacional Leonardo da Vinci para ingressar no ensino médio, no qual ficou em segundo lugar. Pelo desempenho, ganhou desconto quase integral na mensalidade. Na instituição, ele tornou-se monitor do laboratório de física, o que garantiu mais 20% de bolsa, totalizando 90% de desconto.

Ainda no ensino médio, Rafael foi medalhista em física e química, além de ter sido co-fundador e vice-presidente do grêmio estudantil e do clube de química. Na universidade, o estudante foi monitor remunerado de cálculo 2 e do Laboratório de Métodos da Física Experimental. 

Anote aí!

Para ajudar o Rafael a conquistar seu sonho, pode-se fazer a doação por meio do site ou fazer uma transferência bancária na seguinte conta: Banco do Brasil, Agência 3476-2, Conta Corrente 27870-x.


*Estagiária sob supervisão de Jairo Macedo, especial para o Correio