Publicidade

Correio Braziliense GUIA DE CONCURSOS »

Marinha recruta médicos

As inscrições terminam hoje e podem ser feitas pela internet ou presencialmente. Os aprovados passarão por 31 semanas de treinamento no Rio de Janeiro. Depois, poderão atuar em unidades em todo o país


postado em 20/05/2019 14:00 / atualizado em 27/05/2019 19:00

A Marinha do Brasil está com concurso aberto para o quadro da área de saúde da organização. O certame oferece 86 vagas, sendo sete exclusivas para candidatos negros. As áreas contempladas são: clínica médica (37), cirurgia geral (17), anestesiologia (1), ginecologia e obstetrícia (8), pediatria (5), psiquiatria (10), radiologia (6) e ortopedia e traumatologia (2). Dessas vagas, quatro são para o Distrito Federal: clínica médica (2), cirurgia geral (1) e ginecologia e obstetrícia (1). As inscrições podem ser feitas até hoje (20) pelo site ou presencialmente, das 8h30 às 16h.
 
 
Cejana de Mello Campos, professora de medicina da UCB e capitão-tenente da Marinha(foto: Arquivo Pessoal)
Cejana de Mello Campos, professora de medicina da UCB e capitão-tenente da Marinha (foto: Arquivo Pessoal)
 
Os critérios para participar do concurso são: ser brasileiro nato de ambos os sexos, ter menos de 36 anos em 1º de janeiro de 2020, estar em dia com a Justiça Eleitoral, e para os homens, com as obrigações do Serviço Militar. O certame é dividido em duas etapas: a primeira é a seleção inicial (SI) que consiste em prova objetiva de conhecimentos profissionais e redação e eventos complementares (EVC). Os EVC incluem verificação de dados biográficos; inspeção de saúde; teste de aptidão física (de natação e corrida); avaliação psicológica; verificação de documentos; provas e títulos e procedimento de heteroidentificação complementar à autodeclaração. A segunda etapa é o período de adaptação (PA), de três semanas, no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (Ciaw), no Rio de Janeiro.

No mesmo local, os aprovados farão o Curso de Formação de Oficiais (CFO), que preparará para exercer cargos e funções dentro de organizações militares da Marinha, em qualquer unidade do país. Os selecionados receberão remuneração, alimentação, uniforme, assistência médico-odontológica, psicológica, social e religiosa. Outra parte do CFO é o Estágio de Aplicação que pode durar até 17 semanas e que adaptará os alunos às características do serviço naval da profissão, a complementar a formação militar naval e avaliar complementarmente o desempenho de funções técnicas e administrativas. Essa fase será cumprida em organizações militares designadas e sob a supervisão do Ciaw. Ao todo, o CFO tem duração de aproximadamente 31 semanas e, após a aprovação, o candidato ingressa no Corpo de Saúde da Marinha (CSM) no posto de primeiro-tenente, recebendo R$ 8.245 por mês.

Estudar e conquistar

 

“A prova objetiva aborda assuntos gerais da medicina, portanto é de fácil resolução para os candidatos que estão bem preparados para as provas de residência”, ressalta Cejana de Mello Campos, capitão-tenente da Marinha e professora de medicina da Universidade Católica de Brasília (UCB). Ela deixa conselhos para o dia da prova. “Estar bem preparado, descansado, bem alimentado e tranquilo é essencial para o sucesso no dia do exame”, afirma. O motivo é a dificuldade do conteúdo do certame. “A prova de redação pode ser um ponto delicado para os candidatos, pois o tema é voltado a assuntos considerados relevantes pela Administração Naval. Sugiro incluir na sua dissertação argumentos baseados nos pilares de militarismo, hierarquia e disciplina, e sua repercussão no dia a dia”, conta.

Para aqueles que têm dificuldade em ortopedia, o professor do Centro Universitário de Brasília (UniCeub) Marcello Oliveira Barbosa indica quais conteúdos podem vir a ser cobrados pelo grau de complexidade. “Em relação à dificuldade, o tema traumatismo raquimedular pode ser complexo. A sua avaliação inclui exame neurológico,  qual tipo de lesão, se é completa ou incompleta, a diferenciação entre choque medular e choque neurogênico, e os candidatos podem não saber diferenciar”, alerta. O docente destaca o valor da revisão. “É importante fazer um estudo bem direcionado, fazendo uma correlação da semiologia com cada doença específica. Estudar também as fases da consolidação óssea; as camadas da cartilagem de crescimento; e onde ocorrem as lesões”, indica.

“A classificação dos tumores pode cair, visto que é um assunto relevante”, afirma. “É importante falar dos principais tumores malignos, como o mieloma múltiplo, que com frequência acomete idosos; os osteossarcomas que são mais prevalentes de 10 a 20 anos; e o sarcoma de Ewing , que ocorre na infância, entre os 5 e 10 anos, no meio dos ossos longos”, explica.

Arrase no texto

 

A professora de redação do IMP Concursos Raquel Cesário deixa dicas de ouro sobre o gênero argumentativo. “É comum afirmar um posicionamento e achar que isso é uma argumentação, mas tem que apresentar e comprovar. As fontes mais confiáveis são textos, livros ou legislação, sobre um direito social. É preciso parafrasear, trazer o conhecimento de uma forma mais geral”, indica. Sobre a conclusão, ela aconselha o candidato a ser direto. “Deve fechar o texto reafirmando o que foi desenvolvido. É comum, na hora de usar a conjunção para fechar, usar a errada. Não é um erro bobo: você pode estar sendo incoerente utilizando contudo ou entretanto. Dê uma olhada em conjunções, é importante na redação”, aconselha. A caligrafia também merece atenção, de acordo com Raquel. “Escreva com letra legível. Existem alguns vícios de não fechar direito as letras. Isso pode custar décimos de pontos. Bancas como o Cebraspe (Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos) já reduzem a nota por isso”, afirma.


O que diz o edital


Concurso público para ingresso no Corpo de Saúde da Marinha — Quadro de médicos 

Inscrições: de 3 de maio a esta segunda-feira (20) pela internet no link bit.ly/medicodamarinha ou presencialmente. Em Brasília, o endereço para registro físico é Serviço de Recrutamento Distrital do Comando do 7º Distrito Naval, Esplanada dos Ministérios, Bloco N, Térreo, Prédio Anexo ao do Comando da Marinha - Brasília (DF).
Taxa: R$ 126
Vagas: 86
Salários: R$ 8.245
Provas: Previsão para a 2ª quinzena de julho
Locais: Brasília, Rio de Janeiro, Angra dos Reis (RJ), Nova Friburgo (RJ), São Pedro da Aldeia (RJ), Vila Velha, Salvador, Natal, Olinda (PE), Fortaleza, Belém, Santarém (PA), Amapá, Piauí, São Luís, Rio Grande (RS), Porto Alegre, Paranaguá (PR), Florianópolis, Ladário (MS), Santos (SP), São Paulo e Manaus

Passe bem/Ortopedia


A lesão tumoral óssea benigna, presente frequentemente em adultos jovens do sexo masculino, tipicamente com piora da dor à noite e melhora significativa com uso de aspirina, denomina-se:
A) Osteocondroma
B) Osteoma osteoide
C) Fibroma não ossificante
D) Cisto unicameral
E) Condroblastoma

Comentário:
O osteoma osteoide é a terceira neoplasia óssea benigna mais comum, ocorrendo predominantemente em pacientes jovens do sexo masculino. Na maioria das vezes, os pacientes relatam dor de característica inflamatória, que piora à noite e é aliviada com o uso de anti-inflamatórios não esteroides. O osteoma osteoide é classicamente caracterizado na radiografia convencional ou na tomografia computadorizada por uma área lítica com limites bem definidos representando o nidus central vascularizado, circundado por esclerose e espessamento cortical.

Questão do concurso público para ingresso no Corpo de Saúde da Marinha de 2018, comentada pela professora de medicina Cejana de Mello Campos

Gabarito: letra B



*Estagiária sob a supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
Semesp é a favor do programa Future-se 18:09 - 17/07/2019 - Compartilhe

Semesp é a favor do programa Future-se