Publicidade

Correio Braziliense GUIA DE CONCURSOS »

Seleção do IME para formar engenheiros tem seis dias de provas

O Instituto Militar de Engenharia do Exército abriu 98 vagas. Os interessados em seguir carreira militar ganharão mais de R$ 8 mil após a conclusão do curso. Há também oportunidades para quem deseja apenas se graduar em engenharia. O concurso é pesado: no total, são cinco dias de testes de conhecimentos, além de um dia de exame físico


postado em 25/08/2019 14:21 / atualizado em 30/08/2019 18:51

O Instituto Militar de Engenharia (IME), ligado ao Exército Brasileiro, está recrutando homens e mulheres entre 16 e 21 anos que estejam no último ano do ensino médio ou já concluíram, para cursar graduação em engenharia, nas seguintes especialidades: civil (fortificação e construção), eletrônica, elétrica, química, cartográfica, mecânica e de armamento, mecânica e de automóveis, de comunicações, de materiais e da computação. Do total de 98 oportunidades, 71 vagas são para o Curso de Formação e Graduação de Oficiais da Ativa do Quadro de Engenheiros Militares (CFG/Ativa), sendo 14 exclusivas para candidatos negros.
 
Diego estuda para o concurso durante mais de 14 horas por semana (foto: Pódion/Divulgação)
Diego estuda para o concurso durante mais de 14 horas por semana (foto: Pódion/Divulgação)
 
Para quem não deseja seguir a carreira militar, o edital disponibiliza 27 chances para o Curso de Formação e Graduação de Oficiais da Reserva de 2ª Classe do Quadro de Engenheiros Militares (CACFG/Reserva), das quais cinco são reservadas para negros. Todos os aprovados na seleção receberão os benefícios de alimentação, assistência médica e odontológica, alojamento (para os que necessitarem) e ajuda de custo mensal de R$ 1.044. Contudo, o oficial da reserva terá esses benefícios apenas durante o primeiro ano do ensino superior. A duração do curso de engenharia é de cinco anos. O oficial da ativa, o qual deseja seguir a trajetória militar, será nomeado primeiro-tenente e receberá salário de R$ 8.245 após a conclusão do curso superior.

Fases do exame

O processo seletivo será composto por exame intelectual, inspeção de saúde, exame de aptidão física e processo de heteroidentificação (verificação complementar à autodeclaração dos candidatos negros que participarão por meio de cotas). A prova objetiva terá duas fases. Na primeira, os candidatos resolverão 40 questões (15 de matemática, 15 de física e 10 de química). A segunda fase se divide em quatro dias de provas, com quatro horas de duração cada uma. No primeiro dia, os candidatos resolverão itens discursos e mistos (discursivos e/ou objetivos) de matemática. No segundo, de física. No terceiro, de química. No quarto, de português e inglês.

A dica é praticar

Andre de Jesus Silva, licenciado em física pela Universidade de Brasília (UnB), observa que a banca, ao elaborar a prova, sempre eleva o nível de dificuldade da disciplina. “O exame é bastante complicado, pois exige muito conhecimento específico nas áreas de cálculo”, comenta. O tempo é precioso demais em qualquer exame e, neste, ainda mais. Quando não souber a resposta para determinada pergunta, o candidato pode “empacar”, mas o professor dá uma dica para não entrar em pânico. “Não se pode perder muito tempo em um único item porque existem outras disciplinas. Caso não saiba a resposta de uma questão, parta para a próxima”, aconselha.

Durante a preparação, “o que pode ajudar a otimizar o tempo é fazer exercícios”. Afinal, ganhando prática, é possível se tornar mais ágil na resolução dos problemas. Andre ressalta temas que devem ganhar mais destaque no concurso: conservação de energia, movimento linear, circuitos elétricos e gravidade. “As últimas provas trouxeram questões desses assuntos. Elas eram enormes e exigiam muito raciocínio lógico. Aconselho a fazer as últimas cinco avaliações”, sugere o físico.

Disciplina importante

Vânia Klezewsky, licenciada em língua portuguesa e inglês pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), destaca que é importante ter disciplina para estudar para português. “Aqueles que realmente têm interesse em uma vaga do IME precisam de uma rotina de estudo bastante severa”, afirma. “Serão necessárias muitas horas de estudo diário.”  A professora do Curso Cidade pondera que é preciso ter equilíbrio. 

“É necessário ler muito, fazer exercícios e resumos, porque são muito importantes, mas de modo que não prejudique o bom funcionamento do organismo humano. Estudar entre 10 e 12 horas por dia seria bom. Mais que isso acarretará cansaço mental, físico, desconcentração e sonolência.” Em língua portuguesa, tradicionalmente, são cobradas a morfologia e a sintaxe.

Treino esportivo

O educador físico Guilherme dá dicas para o teste físico(foto: Arquivo Pessoal)
O educador físico Guilherme dá dicas para o teste físico (foto: Arquivo Pessoal)
O Exame de Aptidão Física (EAF) é uma das partes mais temidas da seleção. As candidatas precisarão executar 10 repetições de flexão e 27 de abdominal. Já os candidatos terão de fazer 19 flexões e 30 abdominais. A prova prática também envolve corrida: em 12 minutos, mulheres deverão correr 1.850 metros; e homens, 2.100 metros. A dica principal é treinar de forma específica e respeitar os intervalos de descanso do corpo, segundo Guilherme Lazo Solano Neto, bacharel em educação física pela Escola de Educação Física da Polícia Militar do estado de São Paulo (PMESP). “Academia, CrossFit, bicicleta, entre outros, ajudam no fortalecimento e condicionamento físico, mas não preparam para o exame”, compara.

“Logo, se tem prova de corrida, você terá de correr! Se tem flexão de braços, você terá de treinar isso”, afirma. Em relação à corrida, ele alerta o candidato para usar tênis adequado, vestimentas leves (shorts, bermudas, camisas dryfit) e manter-se sempre hidratado. É essencial fazer treinos voltados ao ganho de velocidade e de força. “Para o primeiro caso, é importante marcar os tempos para observar a agilidade. A força é essencial para que o rendimento cresça sem que o corpo precise sofrer por causa disso. Mas como unir os dois pontos? É necessário fazer um treino intervalado”, explica. “Consiste em correr uma determinada distância em certo tempo, por exemplo, fazer 400 metros em 1 minuto e 30 segundos por 10 vezes com um intervalo de descanso após cada execução”, exemplifica o professor do Estratégia Concursos.

Dicas para inglês

A professora Vânia Klezewsky dá orientações para se dar bem nos itens do idioma estrangeiro:

- Tenha uma rotina de estudo: como qualquer outra matéria do concurso para o IME, o importante é estudar. Não se pode subestimar nenhuma disciplina, por mais simples que ela pareça ser. Foco e disciplina são fundamentais.

- Leia os conteúdos e resuma: horas de dedicação às leituras, à execução das tarefas e a resumos são primordiais, desde que não prejudiquem o bom funcionamento do organismo humano. Estudar entre 10 a 12 horas por dia é positivo. Sendo mais que isso, a carga acarretará cansaço mental, físico, desconcentração e sonolência. Todos esses trarão consequências negativas.

- Preste atenção: diferentemente da prova de português, na qual são cobradas a morfologia e a sintaxe, em inglês, o que se privilegia é a compreensão textual imediata. Espera-se que o candidato tenha competência na comunicação com uso do idioma mais falado, comercialmente, no mundo inteiro. E isso vale durante a formação, pois há, no IME, alunos de várias nacionalidades estudando no mesmo espaço. Nada melhor do que a fluência em inglês para facilitar as relações. 

Quero passar!

Diego Campos Laboissiere, 19 anos, terminou o ensino médio no Colégio Pódion, onde faz cursinho. “Eu soube dessa oportunidade quando participei de olimpíadas de matemática e biologia na escola. Alunos mais velhos traziam as provas do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e do IME para estudar. Achei um estilo diferente de vestibular e quis participar”, afirma. “Não quero seguir carreira militar, mas desejo ser engenheiro civil”, diz. O jovem estuda mais de 14 horas semanais de olho numa chance. “Faço exercícios e simulados, presto atenção às aulas, principalmente, no caso de matérias em que eu tenho muita dificuldade, como química”, afirma. “Também leio os livros didáticos que estão no edital”, conta. O morador do Jardim Botânico frequenta uma academia e treina as atividades físicas do exame, como flexão e corrida. “Estou confiante, pois estudo há um ano para a avaliação.”

O que diz o edital

Concursos de admissão aos Cursos de Formação e Graduação de Oficiais da Ativa e da Reserva do IME
Inscrições: encerradas na quinta (22) no site; acesse o edital
Taxa: R$ 100
Vagas: 98
Salário: durante o curso, o oficial da ativa ganhará auxílio mensal de R$ 1.044 e, logo após a formatura, passará a ganhar R$ 8. 245. Já o oficial da reserva receberá o auxílio mensal de R$ 1.044 apenas no primeiro ano de curso
Datas: 15 de outubro (primeira fase, provas de matemática, física e química), 28 de outubro (prova de matemática da segunda fase), 29 de outubro (prova de física da segunda fase), 30 de outubro (prova de química da segunda fase) e 31 de outubro (provas de português e inglês da segunda fase), de 20 de janeiro e 10 de fevereiro (teste físico)
Locais: Brasília, Belém, Belo Horizonte, Campinas (SP), Campo Grande, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Juiz de Fora (MG), Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São José dos Campos (SP), São Paulo, 
Teresina e Vila Velha (ES)


*Estagiária sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade