Publicidade

Correio Braziliense EMPREGO

Largada para as contratações de fim de ano

A vaga provisória pode ser a chance de entrada ou de reinserção de desempregados no mercado de trabalho. Diversas empresas já estão em busca de mão de obra. A previsão é de que 570 mil oportunidades sejam disponibilizadas até dezembro em todo o país. No Distrito Federal, são 2.822 vagas


postado em 08/09/2019 13:49 / atualizado em 09/09/2019 16:13

"Em agosto e setembro, as indústrias começam a contratar. Já em outubro e novembro, é a vez do comércio" Mara Fortes, diretora regional da Asserttem no DF (foto: Divulgação/TAQE)
A indústria, o comércio e o turismo já estão em contagem regressiva para as festas no fim de ano. Com o aumento da demanda, várias empresas recorrem ao trabalhador temporário. Para muitos, é uma chance de driblar o desemprego, a falta de experiência e, até, quem sabe, conseguir uma vaga definitiva depois da experiência sazonal. A movimentação de contratações a curto prazo, principalmente nos sistemas de produções, começaram em agosto e estão a todo vapor.

Considerando o aquecimento do comércio e da indústria para datas como Dia das Crianças e o Natal, a Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) prevê a criação de mais de 570 mil oportunidades temporárias até o fim do ano — no Distrito Federal, a estimativa é de abertura de 2.822 vagas. Em 2018, no mesmo período, foram contabilizados cerca de 500 mil postos nacionalmente. No ano passado, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) calculou a contratação de mais de 72 mil pessoas apenas na área comercial.

Tenho segurança de que a maioria dos candidatos prefere uma vaga definitiva, mas o contrato temporário acaba sendo uma grande oportunidade para se reinserir ou entrar pela primeira vez no mercado de trabalho
Tenho segurança de que a maioria dos candidatos prefere uma vaga definitiva, mas o contrato temporário acaba sendo uma grande oportunidade para se reinserir ou entrar pela primeira vez no mercado de trabalho"Renato Dias, CEO da plataforma de empregos e capacitação TAQE (foto: Divulgação/TAQE)
Para este ano, a entidade ainda não tem estimativa. A expectativa é de que outubro e dezembro deste ano sejam os meses com maior fartura de chances, devido ao Dia das Crianças e o Natal. Trata-se de contratos temporários baseados na Lei nº 6019/1974, que pode ser utilizada em diversos setores e para qualquer tipo de ocupação. “Em agosto e setembro, as indústrias começam a contratar. Já em outubro e novembro, é a vez do comércio”, explica Mara Fortes, diretora regional da Asserttem no DF.

As contratações nesses meses são conhecidas como sazonais e há, também, as por substituição de cargos. No último caso, os contratos ocorrem em todo o ano, principalmente quando um funcionário se afasta da função por determinado período, por exemplo, para tirar licença-maternidade. Mara observa que há, ainda, outro motivo para a abertura de vagas a curto prazo. “Em meio a crise econômica, o número de contratações de temporários aumenta. Isso ocorre porque as empresas ficam receosas e contratam enquanto esperam a reação do mercado.”

Chances abertas 

Companhias de diversos ramos se preparam para recrutar temporárias e já há, até, firmas com inscrições abertas. Na empresa de soluções em recursos humanos Luandre, 350 oportunidades vão ser ofertadas, com salários entre R$ 1 mil e R$ 6 mil. A firma estima um crescimento de 30% nas contratações a curto prazo no fim de 2019, comparando com 2018. “Ao longo do ano, a busca de vagas temporárias é, aproximadamente, de 45% do total das pesquisas no nosso site. No fim, a procura fica maior do que isso porque este período sazonal já é conhecido”, afirma Bárbara Alves, gerente de RH da Luandre.
 
"Ao longo do ano, a busca de vagas temporárias é, aproximadamente, de 45% do total das pesquisas no nos, a procura fica maior do que isso, porque este período sazonal já é conhecido" Bárbara Alves, gerente de RH da Luandre (foto: Divulgação/TAQE)
Em agosto, grande parte das ofertas temporárias foram para a indústria, onde o sistema de produção costuma ser iniciado. “Esse formato de contratação também possibilita à empresa avaliar o profissional que mais se adéqua ao cargo oferecido a partir do trabalho exercido durante o período de contrato, evitando, assim, turnovers (alta rotatividade de funcionários)”, explica Bárbara. A gerente também conta que algumas empresas “aguardam o aquecimento das vendas para aumentar a equipe e evitar reflexo negativo no atendimento”.

Para o CEO da plataforma de empregos e capacitação TAQE, Renato Dias, as contratações temporárias são significativas para instituições mesmo fora das sazonalidades. “É interessante que as empresas aproveitem esse movimento para avaliar novos colaboradores. Caso eles se saiam bem, os diretores podem até renovar as equipes”, explica. As empresas atendidas pela TAQE afirmam que 40% dos empregados acabam sendo efetivados e, neste fim de ano, a plataforma prevê a oferta de 500 oportunidades.

Para Renato, as chances também podem beneficiar os desempregados em longo prazo. “Tenho segurança de que a maioria dos candidatos prefere uma vaga definitiva, mas o contrato temporário acaba sendo uma grande oportunidade para se reinserir ou entrar pela primeira vez no mercado de trabalho”, afirma. Renato compartilha algumas dicas para quem quer ser efetivado: “É importante que o candidato mostre alto nível de compromisso e engajamento com a empresa, além de manter boa relação com os colegas”.

O caminho para a efetivação

"Todo chefe conhece o funcionário que tem, e o meu viu que eu estava me dedicando durante o trabalho temporário. Por isso, fui efetivada"Valéria Almeida Lima, assistente financeira (foto: Arquivo Pessoal)
No fim de 2013, Valéria Almeida Lima saiu de Tocantins rumo a Brasília com o objetivo principal de estudar e ser independente. “Cheguei com R$ 50 no bolso e fui morar com um primo. Um mês depois, consegui arrumar emprego, mas, naquela época, era muito mais fácil”, relembra. Aos 23 anos, Valéria trabalha como assistente financeira em uma gráfica, área que também conta com aumento de demandas no fim de ano. Este é o terceiro emprego com carteira de trabalho assinada da jovem, que conseguiu essa vitória após oito meses de contrato temporário.

“Eu estava aceitando o que viesse e vi isso como uma oportunidade”, conta. Assim que começou a trabalhar como temporária, Valéria já buscava a efetivação. Ela acredita que a permanência no emprego é resultado de boa comunicação e proatividade. “Todo chefe conhece o funcionário que tem, e o meu viu que eu estava me dedicando”, afirma. A moradora do Riacho Fundo I tem planos e já está correndo atrás de seu maior objetivo em longo prazo: a graduação em direito.

Em busca de uma oportunidade

"Eu acho que o emprego só é realmente temporário para quem não faz diferença dentro da empresa" Railana Thamyne, desempregada (foto: Clara Lobo/Esp.CB/D.A Press)
Da posição de auxiliar administrativa até a de operadora de caixa, Railana Thamyne já percorreu muitas áreas desde a adolescência. Hoje, aos 29 anos, a brasiliense está desempregada e aberta às oportunidades de trabalho temporário. “As vagas que surgem por causa da demanda crescente no comércio são uma ótima oportunidade”, conta Railana, mesmo que não tenha muita experiência no modelo de contratação. “Meu primeiro emprego era para ser de temporária porque eu deveria apenas cobrir as férias de outro funcionário, mas acabei ficando mais”, relembra.

A moradora da Asa Norte acredita que o contrato em curto prazo deve ser a porta de entrada para a efetivação. Segundo ela, o empregado deve deixar uma boa impressão para o chefe. “Eu acho que o emprego só é realmente temporário para quem não faz diferença dentro da empresa”, afirma. Há quase dois anos na busca pela carteira assinada, Railana conta que, se pudesse escolher, trabalharia na área administrativa de alguma companhia. “É uma área que eu conheço bem; eu me sinto confortável e acredito que terei mais oportunidades.”

Manual da contratação 

(foto: Catho/Divulgação)
(foto: Catho/Divulgação)
Como conquistar um trabalho temporário neste fim de ano? Tábitha Laurino (foto) é gerente sênior da Catho e dá dicas para o brasileiro à procura de uma oportunidade em curto ou em longo prazo: 
 
» Tenha um bom currículo
Ter uma boa apresentação profissional é fundamental.Lembre-se de que o currículo é o primeiro contato entre profissional e empregador. Dê atenção para todos os campos que precisam ser preenchidos, pois como todo currículo que se preze, ele deve ser claro e objetivo.

» Saiba onde procurar
Há diferentes fontes para o profissional que está em busca de um trabalho temporário. No entanto, os segmentos de vestuário, eletrodomésticos e alimentação, que são os mais movimentados e que mais contratam em todo o país, normalmente anunciam as vagas on-line, por meio de sites de emprego.

» Valorize seus pontos fortes
Busque identificar quais são suas maiores qualidades e posicione-se onde você rende mais. Aproveite o momento para praticar seus conhecimentos, potencializar suas habilidades e se apresentar como um profissional proativo e dedicado. Busque ir além do que foi pedido e mostre-se como um profissional que realmente quer ser efetivado.

» Trabalhe em equipe
Saber desenvolver atividades em equipe pode ser um grande diferencial para as empresas. Envolva-se com os colegas de trabalho, mostre que é capaz de atuar nos mais diversos setores e vista a camisa da empresa. Mesmo que provisório, se esforce para fazer parte do time e deixar uma marca positiva sobre o seu trabalho. Transforme as oportunidades profissionais em verdadeiras conquistas. 

Calendário das contratações

Segundo a gerente de recursos humanos da Luandre, Bárbara Alves, alguns setores têm meses específicos para o início de contratações temporárias. Confira:
> Agosto: indústria
> Setembro e outubro: logística
> Novembro e dezembro: varejo
No restante dos setores, como as áreas da saúde e administração, os contratos ocorrem o ano todo. 

Encontre uma vaga

Confira locais onde se inscrever para concorrer a chances temporárias:
» Luandre: luandre.com.br
» TAQE: web.taqe.com.br
» Employer: employer.com.br
»  Labor: labor.com.br
» GP temporários: gptemporarios.com.br
» Gelre: eyeonjob.com
» Agência Dammas: agenciadammas.com
» Grupo SRM: gruposrm.com.br
» Vagas.com: vagas.com.br
» Infojobs: infojobs.com.br 

Incremento para o Dia das Crianças 

O Grupo Ri Happy abre vagas para contratação temporária de 3 mil profissionais por todo o país para atuar entre 2 e 14 de outubro. Vagas para auxiliares de vendas, de caixa, de estoque, fiscal de loja e de pacote. A carga horária é de sete horas (mais uma hora para refeição) em seis dias da semana. Remuneração: a combinar. É preciso cursar ou ter concluído o ensino médio. Há possibilidade de voltar para trabalhar no Natal e de efetivação. Inscrições até 2 de outubro:
 
 
 


*Estagiária sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
As regras do jogo para a redação do Enem 10:32 - 18/09/2019 - Compartilhe

As regras do jogo para a redação do Enem

publicidade
UDF realiza Feira de profissões 15:02 - 17/09/2019 - Compartilhe

UDF realiza Feira de profissões

publicidade
publicidade
Confira live de ciências humanas do Enem 13:40 - 16/09/2019 - Compartilhe

Confira live de ciências humanas do Enem

MEC lança site da carteirinha digital 11:22 - 16/09/2019 - Compartilhe

MEC lança site da carteirinha digital

A vez da turma de humanas 07:00 - 16/09/2019 - Compartilhe

A vez da turma de humanas

publicidade
Agora é outra história 07:00 - 16/09/2019 - Compartilhe

Agora é outra história

Análise crítica em geografia e história 07:00 - 16/09/2019 - Compartilhe

Análise crítica em geografia e história

Live de ciências humanas hoje (16) 07:00 - 16/09/2019 - Compartilhe

Live de ciências humanas hoje (16)

Para maratonar o Enem 07:00 - 16/09/2019 - Compartilhe

Para maratonar o Enem

publicidade