Publicidade

Correio Braziliense ORGANIZAÇÃO

Aprenda a traçar metas e a se planejar profissionalmente para 2020

Um bom planejamento com objetivos claros é um dos segredos para conquistar sonhos e ascender profissionalmente. Especialistas recomendam organização


postado em 29/12/2019 16:44 / atualizado em 06/01/2020 14:49

Daqui a dois dias, fogos de artifício anunciarão a chegada de 2020. A reta final de 2019 pode ser propícia para repensar a carreira e traçar metas para os próximos 12 meses. Afinal, quem sabe aonde quer chegar tem mais chance de se preparar e administrar melhor o tempo e, assim, concretizar desejos. Silvana Di Maio, 39 anos, é exemplo disso. Desde 2005, a brasiliense tem o hábito de montar um planejamento anual e focar alguns objetivos centrais na carreira.
 
Silvana se acostumou a cumprir o que traça para cada ano(foto: Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press)
Silvana se acostumou a cumprir o que traça para cada ano (foto: Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press)
 
 
As metas de 2020 já estão traçadas. “Elaborei um plano para ascender na empresa onde trabalho e ocupar um cargo mais alto”, conta. Ela é gerente de Marketing da Febracis (Federação Brasileira de Coaching Integral Sistêmico) e tem uma empresa de consultoria na mesma área, a 4As Digital. “Hoje eu lidero uma equipe de oito pessoas diretamente, mas minha expectativa é que, no ano que vem, eu assuma uma posição de liderança superior ou, até mesmo, mude de país para trabalhar em uma filial da Febracis”, acrescenta.

Este ano, Silvana conseguiu cumprir várias metas: duplicou o faturamento como empresária, concluiu uma grade de cursos de desenvolvimento pessoal, escreveu o e-book 10 passos fundamentais para crescer e ganhar mais na carreira de comunicação, e conseguiu colocar a equipe de marketing que gerencia em primeiro lugar em resultados entre as 40 unidades da Febracis.
Para registrar as metas, Silvana opta pelo bom e velho caderno. “Tenho celular, mas eu gosto mesmo é do papel. Ainda sou meio à moda antiga”, brinca. Ela conta que tem o hábito de construir listas e, todas as noites, antes de dormir, anota as principais tarefas que deverá executar no dia seguinte para se aproximar dos objetivos profissionais. Isso a ajuda a gerenciar a rotina corrida, dividida entre duas empresas.

Por que fazer planos? 

Administradora com especialização em comércio exterior e tecnóloga em processamento de dados, a coach Rebeca Toyama acredita que quem não estabelece metas se torna uma consequência do que acontece em volta. “Quando não fazemos um planejamento, nosso modo de pensar fica solto. O que fizer mais barulho vai nos chamar a atenção”, analisa ela, que tem experiência em planejamento de carreira e educação financeira.
 
A meta de 2020 precisa estar alinhada com a meta de vida. 2020 não pode ser um ano soltinho, ele precisa fazer parte de uma construção
A meta de 2020 precisa estar alinhada com a meta de vida. 2020 não pode ser um ano soltinho, ele precisa fazer parte de uma construção"Rebeca Toyama, coach (foto: Arquivo pessoal )
 
 
De acordo com a pós-graduada em psicologia transpessoal e em marketing, é importante que os planos para 2020 tenham conexão com o propósito do futuro. Por isso, os profissionais devem pensar aonde querem chegar em um período de tempo maior — como nos próximos cinco ou 10 anos — e traçar alvos que os aproximem dos objetivos de longo prazo. “A meta de 2020 precisa estar alinhada com a meta de vida. 2020 não pode ser um ano soltinho, ele precisa fazer parte de uma construção”, afirma a fundadora da Academia de Coaching Integrativo.
 
Segundo o psiquiatra, palestrante e escritor Roberto Shinyashiki, os profissionais que alcançam metas são exatamente os que se planejam. “Existe uma pesquisa mostrando que as pessoas que têm metas alcançam mais objetivos do que aquelas que não se organizam nem se planejam”, aponta. “Além disso, aquelas que escrevem os planos e projetos têm muito mais chances de ter sucesso.” 

Destrinchando os próximos passos 

Depois de definir as metas para o novo ano, é importante detalhá-las em planos mensal, semanal e diário. Assim, fica mais fácil saber, passo a passo, o que é necessário fazer para alcançá-las. Além disso, a coach Rebeca Toyama sugere que os profissionais sempre façam uma espécie de check-up no fim do mês para verificar quais tarefas foram cumpridas. “Um erro que muitas pessoas cometem é o de só conferir as metas em dezembro. Não dá para se comprometer a falar inglês e, no fim do ano, dizer: eu me esqueci de que precisava aprender inglês”, alerta.

“Se você verificar o cumprimento das metas rotineiramente, não levará um susto em dezembro.” Doutor em administração e economia pela Universidade de São Paulo (USP), Roberto Shinyashiki explica que existem dois tipo de metas: as de resultado e as de ação. “Vamos imaginar que uma vendedora de automóveis queira vender 20 carros por mês. Para isso, ela precisa vender um por dia. Então vai prospectar clientes para que todo dia alcance uma meta”, exemplifica.

Ele enfatiza que, muitas vezes, as pessoas focam o resultado, mas é importante entender que o objetivo final faz parte de uma construção diária. Para o psiquiatra, a dor é um dos fatores que motivam indivíduos a sair da zona de conforto e ir em busca do sonho. “Um funcionário que não participa diretamente das ações da empresa precisa sentir a dor de não ser promovido para começar a ir às reuniões e se empenhar para conseguir ascender profissionalmente na firma.” 

Nada de procrastinação! 

Quantas vezes você já chegou ao fim do ano e percebeu que não havia tirado as metas do papel? Nessas situações, não faltam desculpas: “Não tive tempo”, “foi um ano complicado”, “melhor deixar para depois”. De acordo com a neuropsicóloga Keli Rodrigues, a tendência de procrastinar as tarefas está relacionada à falta de um propósito. “Quando eu não vejo sentido no que estou fazendo, é comum deixar as metas para depois”, afirma. “Para que isso não aconteça, é fundamental entender por que eu preciso desempenhar aquela tarefa, qual benefício ela vai me trazer e o que eu quero alcançar no futuro”, acrescenta.

Com essas respostas em mente, é mais fácil ter foco para atingir os resultados desejados. Keli acrescenta que a procrastinação, muitas vezes, também está relacionada à falta de autorresponsabilidade. “Quando a pessoa não entende que aquele objetivo só depende dela, que, se ela não fizer, ninguém vai, começa a colocar a culpa em terceiros. Culpa a mãe, o pai, o vizinho, a falta de tempo…” De acordo com Rebeca Toyama, especialista em planejamento de carreira e educação financeira, a tendência de adiar as metas normalmente ocorre em três situações.

Quando a pessoa tem medo de não alcançar determinado desafio, quando teme conseguir vencê-lo, mas não responder bem a ele, ou nos casos em que o profissional só está correndo atrás da meta para agradar a outro indivíduo. Nessas situações, é importante compreender a origem da procrastinação para entender a melhor forma de lidar com o problema. Na opinião do psiquiatra e palestrante Roberto Shinyashiki, os profissionais que têm dificuldade de alcançar metas, em geral, são aqueles que não veem sentido claro para isso. “A motivação é muito importante. É exatamente o que faz a pessoa não adiar as metas de ação”, diz. “Todo mundo que tem um porquê descobre um como.” 

Como fica a correria da rotina?  

(foto: Fabiano Accorsi/ Divulgação)
(foto: Fabiano Accorsi/ Divulgação)
  
A falta de tempo, em algumas situações, não é desculpa, mas uma realidade. Para estabelecer metas, é importante pensar na agenda primeiro. “Ao fazer um planejamento financeiro, você precisa saber quanto pode gastar por mês. Para fazer um planejamento de carreira, você precisa ter noção de que existe uma limitação de horas”, explica Rebeca Toyama, fundadora da Academia de Coaching Integrativo. “Tempo é o recurso mais escasso de um profissional. É preciso ter uma boa relação com ele”, completa.
 
Ela cita, como exemplo, a vez em que estava elaborando um plano de carreira para um profissional que trabalhava em um banco. A quantidade de metas que ele havia estabelecido era incompatível com a disponibilidade de tempo. “Eu disse para ele: para o bichinho da procrastinação não te comer nesse plano, você vai precisar tirar coisas da sua agenda. Você está dormindo cerca de seis ou sete horas. Não dá para tirar o sono”. Rebeca alerta: “Muitas vezes, para deixar de ser um procrastinador, é necessário tirar tarefas da agenda”.

E se não der certo?

Nem sempre é possível ticar todos os itens da lista de metas, mas isso não é motivo para sentir culpa. “A culpa piora a procrastinação e a frustração e é um péssimo elemento nesse momento”, afirma Rebeca Toyama. “O importante é entender o que aconteceu, extrair o aprendizado e pensar em uma ação corretiva.”
 
Se a meta ainda fizer sentido, é possível incluí-la no planejamento do ano seguinte. O psiquiatra Roberto Shinyashiki explica que, nessas ocasiões, a frustração é natural e inevitável. “Sempre há uma ideia de que é perigoso se frustrar. Na verdade, na vida, é perigoso não se comprometer nem correr atrás dos objetivos. Uma das provas de maturidade do ser humano é aprender a lidar com as frustrações”, opina. 

Os planos dos trabalhadores

Profissionais de diferentes áreas revelam metas para o ano-novo

“Quero passar em concurso”

Adilson Oliveira, 28 anos, tem planos definidos para 2020. Formado em gestão pública pela Faculdade Anhanguera, ele pretende estudar para concursos de tribunais, com foco no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). “Até os 30 anos, quero ser servidor público. Essa é a minha meta”, conta. No entanto, ele acredita que o sonho pode se realizar já no ano que vem se o edital para o concurso for lançado. Foi em 2017, dois anos depois de ter concluído a graduação, que Adilson entendeu a importância de se planejar para alcançar o objetivo de ser concursado.
 
Adilson está de olho em concursos de tribunais, especialmente o do TJDFT(foto: Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press)
Adilson está de olho em concursos de tribunais, especialmente o do TJDFT (foto: Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press)
 
 
Adilson Oliveira, 28 anos, tem planos definidos para 2020. Formado em gestão pública pela Faculdade Anhanguera, ele pretende estudar para concursos de tribunais, com foco no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). “Até os 30 anos, quero ser servidor público. Essa é a minha meta”, conta. No entanto, ele acredita que o sonho pode se realizar já no ano que vem se o edital para o concurso for lançado. Foi em 2017, dois anos depois de ter concluído a graduação, que Adilson entendeu a importância de se planejar para alcançar o objetivo de ser concursado.
 
“Antes eu não me preparava com tanto afinco e não tinha escolhido uma carreira para seguir. O mais importante é focar o cargo que você quer e continuar tentando até passar”, opina. “É claro que você pode fazer outros concursos, mas é importante ter um foco principal”, completa. Hoje, ele estuda de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h. Para organizar a rotina, faz sempre um planejamento semanal e outro diário com os conteúdos que devem ser revisados. Até os intervalos são programados. “A cada hora de estudo, descanso 10 minutos. A pausa para o almoço é de uma hora e meia”, relata.
 
O brasiliense conta que, em 2017, fez cursinho presencial, mas atualmente estuda em casa com o auxílio de plataformas on-line. Antes de começar a rotina de estudos, ele havia trabalhado como recepcionista em um hotel, auxiliar numa empresa de telecomunicações e auxiliar de instalação em uma empresa de ar-condicionado. “Quando percebi que, na iniciativa particular, ganharia pouco e que meu curso em gestão pública não garantiria muita coisa, decidi me dedicar aos concursos para ter uma vida melhor”, diz. “Meu sonho é poder ajudar meus pais e, no futuro, ter uma família com qualidade de vida. Também gostaria de poder viajar todo ano para a Europa.” 

“Eu sempre estabeleço minhas metas”  

"Minha pergunta-mantra é: suas ações de hoje levarão aos seus sonhos?" Carol Brandão, palestrante (foto: Renato Pinheiro / Divulgação)
 
Para Carol Brandão, 43 anos, traçar metas para o ano seguinte se tornou uma tradição. Há uma década, a coach e palestrante costuma colocar os planos no papel. Ela tem uma pergunta como mantra: “Suas ações de hoje levarão aos seus sonhos?” Carol divide as metas em quatro áreas: prosperidade (aquelas ligadas à carreira, finanças, saúde e corpo), felicidade (relações interpessoais), cultura (aprendizados, cursos, viagens, artes) e liberdade (espiritualidade).
 
“Uma das minhas metas para este ano era palestrar para muitas pessoas. Eu tive algumas oportunidades nesse sentido e a maior delas foi conduzir um Ted Talk”, conta. “Outro objetivo muito relevante para 2019 era fazer parte da equipe do Roberto Shinyashiki (mentor, escritor e psiquiatra). Eu fiz o primeiro curso dele em setembro do ano passado e, em maio, eu já era da equipe”, acrescenta.
 
O planejamento para 2020 ainda está em fase de elaboração, mas uma das metas foi definida. “Este ano eu desenvolvi, com base nas minhas experiências de trabalho, uma metodologia eficaz para gerar resultados em vendas por meio da mudança de pensamento dos membros de uma empresa. Quero compartilhar esse método com grandes corporações”, relata Carol, que trabalhou durante 12 anos na área de vendas e marketing. 

“2020 já está planejado” 

“Quando você planeja, fica repleto de energia positiva e de vontade de ir e viver aquilo. É como se todas as coisas colaborassem para você cumprir o seu objetivo”, afirma o proprietário do grupo Med Mais, Victor Reis, 34 anos. O ano de 2019, para ele, foi de conquistas — 95% do planejado foi cumprido. Contudo, a trajetória de Victor como empresário nem sempre foi de sucesso. A firma dele faliu duas vezes. Apesar disso, hoje a Med Mais é a maior empresa de emergências médicas aeroportuária da América Latina.
 
Analista em engenharia de segurança do trabalho pela Universidade Tecnológica do Paraná (UTFP), Victor abriu a firma em 2008. No ano seguinte, ela fechou as portas. Em 2010, o empresário decidiu estudar práticas de mercado. “Fiz o meu primeiro planejamento e consegui aumentar o faturamento anual, que antes era de aproximadamente R$ 45 mil, para R$ 400 mil”, orgulha-se. Contudo, ele não tinha entendido que precisava de uma receita mensal, não apenas um contrato pontual de valor alto. Além disso, o apego a uma venda que tinha dado certo o prejudicou.
 
"Se você planejar algo que não seja tão profundamente abraçado pelo seu propósito, você não vai ter energia para executar"Victor Reis, proprietário de um grupo de serviços de emergências médicas (foto: Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press)
 
 
“O empreendedor tem muito sentimento com as coisas que trouxeram resultado porque ele tem receio de não conseguir alavancar com outros métodos.” 2012 chegou e a empresa passou meses sem faturamento, até que fechou as portas novamente. Victor perdeu o negócio e se divorciou. “A frustração veio, mas eu precisava comer, então não tive tempo para remoer”, relembra. Embora o primeiro planejamento tivesse dado certo no início, em longo prazo não funcionou. Foi aí que ele viu a necessidade de planejar com detalhes específicos.
 
Victor passou a usar a tabela 5W e 2H, na qual todas metas dos projetos idealizados têm de responder às seguintes perguntas: o que, quem, quando, onde, por que, como e quanto custa. Ainda em 2012, o brasiliense reabriu a firma e pediu para todos os funcionários utilizarem planners diários. “Eu digo para eles que nossas tarefas são como o caixa de uma loja: a gente tem que abrir pela manhã, listando tudo que sobrou do dia anterior, para nos programar neurologicamente”, relata. “Aí eles vão saber que não podem fechar o dia sem finalizar aquelas tarefas”, diz.
 
“Além disso, quando eles fecharem o caixa à noite, vão poder mensurar a produtividade deles”, explica. Quando a crise de 2013 chegou, o grupo Med Mais estava preparado. Victor havia estudado o mercado e já estava se planejando para mudar de estratégia. A companhia recebeu uma proposta para assumir, como empresa terceirizada, a área de emergência médica do Aeroporto de Brasília e, em alguns meses, estava trabalhando para mais seis aeroportos. “Por causa da crise, hoje somos multinacional e a maior empresa de emergências médicas aeroportuária da América Latina”, afirma.
 
“Precisei fechar o meu comercial para não sermos mais contratados. As coisas estavam tão aceleradas que eu não conseguia agir sob o meu planejamento. Preferi deixar de ganhar dinheiro para planejar os próximos anos.” Hoje, o empreendedor está com o ano de 2020 todo planejado, e o grupo Med Mais emprega mais de 450 pessoas. O segredo, segundo ele, é se conhecer e saber qual o propósito do negócio. “Nessa caminhada de oito anos de planejamento, percebi, de forma clara, que ele não pode ocorrer se não por intermédio de uma busca interior”, aponta.
 
“Se você planejar algo que não seja tão profundamente abraçado pelo seu propósito, você não vai ter energia para executar”, opina. Embora Victor faça planilhas para as tarefas do trabalho e algumas pessoais, ele também gosta da imprevisibilidade. Ele viajou na última quinta-feira (26) para uma expedição de moto no Pantanal. “Não tenho roteiro nem lugar fixo para ficar. É o meu momento de relaxar para planejar 2021, porque 2020 já está pronto.” 

Mãozinha para se organizar

Victor compartilha tabela em branco para quem também quiser aderir ao método. Confira no link: 

Como traçar planos?

Confira o passo a passo para definir suas metas e objetivos para 2020 e montar um plano de ação para alcançá-los
» Reserve algumas horas e vá a algum lugar tranquilo;
» Leve papel e caneta para anotações;
» Imagine como você quer que sua vida seja no futuro, o que você deseja no âmbito pessoal e profissional;
» Transforme seus objetivos em metas. Por exemplo, se o seu objetivo é escalar o monte Everest, você deve praticar atividades físicas cinco vezes por semana, fazer um plano alimentar com nutricionista, comprar roupas adequadas, providenciar as passagens, e assim por diante;
» Trace metas de curto, médio e longo prazo. Ao cumprir metas de curto prazo, você sentirá que está no caminho certo para alcançar seus objetivos;
» Verifique se as metas são específicas, mensuráveis, alcançáveis e relevantes;
» Defina um período de tempo para alcançar cada meta;
» Crie um plano de ação utilizando a ferramenta 5W2H. Nesta etapa, você definirá o que (what) deve ser feito para atingir cada uma de suas metas, quem (who) deve fazer, quando (when), porque (why), onde (where), como (how) e quanto custará (how much). Isso traz uma maior clareza sobre o passo a passo que você deve seguir até alcançar seus objetivos;
» Deixe o plano de ação em um local visível e de fácil alcance. Pode ser na parede do seu quarto, por exemplo;
» Coloque as atividades a serem executadas na agenda e programe como deve ser a semana;
» No fim de cada dia, verifique quais atividades você já cumpriu;
» Tire um tempo nos fins de semana para conferir a agenda e verificar quais atividades foram executadas. Aproveite para celebrar as vitórias da semana e preparar as atividades da próxima.

Fonte: Coach Henrique Gondin, formado em direito pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub)  

As metas que os brasileiros não alcançaram em 2019

Mais de 70% dos brasileiros não conseguiram subir de cargo e guardar dinheiro este ano. Essa é a constatação do Mapa da Procrastinação do Brasileiro, elaborado pelo 7waves, aplicativo que auxilia as pessoas a traçarem e conquistarem objetivos. A pesquisa levou em consideração mais de 50 mil usuários, em relação às metas de vida não cumpridas durante 2019. Confira os resultados: 
 
 
 

Leia! / Para começar o ano inspirado 

(foto: Editora Sextante/Reprodução)
(foto: Editora Sextante/Reprodução)
 

 

 

A técnica Pomodoro — O sistema de gerenciamento de tempo que transformou o modo como 
trabalhamos
Autor: Francesco Cirillo
Editora: Sextante
144 páginas
R$ 34,90
 
 
 
(foto: Editora Harper Collins/Reprodução)
(foto: Editora Harper Collins/Reprodução)
 
 
 
 
 
 
Vire o jogo! — O que visionários fazem para vencer na vida
Autor: Dave Asprey
Editora: Harper Collins
352 páginas
R$ 49,90
 
 
 
 
(foto: Editora Gran Cursos Online/Reprodução)
(foto: Editora Gran Cursos Online/Reprodução)
 
 
 
 
 
 
 
Manual do imparável — Dicas para você alcançar tudo que busca na vida e nos concursos. Nunca pare!
Autor: Gabriel Granjeiro
Editora: Gran Cursos Online
239 páginas
R$ 24,90
 
 
 
 
(foto: Editora Matriz/Reprodução)
(foto: Editora Matriz/Reprodução)
 
 
 
 
 
 
 
Administração do tempo — 100 perguntas para melhorar sua produtividade
Autora: Andréa Cordoniz
Editora: Matrix
100 cartas
R$ 37
 
 
 
 
(foto: Editora Matrix/Reprodução)
(foto: Editora Matrix/Reprodução)
 
 
 
 
 
 
 
Produtividade máxima — 100 perguntas para potencializar comportamentos produtivos
Autores: Mario Rondon e Renata Marques
Editora: Matrix
100 cartas
R$ 37  
 
 
  
 
 
 
*Estagiárias sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade