Trabalho e Formacao

Criatividade e digitalização

postado em 19/04/2020 04:10


Renan Pieri, professor de economia da Fundação Getulio Vargas (FGV), destaca a necessidade do auxílio por parte dos profissionais autônomos. ;Essas pessoas estão acostumadas com a circulação de dinheiro diária. Então, agora, deparam-se com semanas sem renda. É urgente fazer essa ajuda chegar;, aponta.

Doutor em economia pela Universidade de São Paulo (USP), Renan ressalta que, com a quarentena, o faturamento de muitos pode ser reduzido a zero. ;É uma crise inédita na nossa história. O tamanho do desafio vai depender da evolução da doença e do tempo em isolamento;, afirma.

Segundo Pieri, mesmo com o fim da quarentena, as pessoas não voltarão a circular imediatamente de forma que viabilize os negócios informais. Por isso, é necessário se preparar em longo prazo. A dica é investir no universo on-line. ;A digitalização da economia já vinha permitindo que pessoas sem vínculo empregatício conseguissem algum tipo de renda;, afirma.

;Com essa crise, esse processo será acelerado. Quem tiver a perspicácia de rapidamente migrar para o on-line e entender que a linguagem, a relação com o cliente e a estratégia de divulgação do serviço devem ser diferentes por causa disso vai sair na frente;, sustenta.

Para Lúcio Pires, gestor de Negócios Digitais do Sebrae, os autônomos são os mais engajados quando o assunto é reinventar-se. ;Engana-se quem pensa que eles estão aguardando apenas esse benefício. Eles são criativos e ágeis para mudar o tipo de negócio rapidamente;, presume.


Palavra de especialista


Covid-19 e a capital

;A situação está mais difícil para os comerciantes do Distrito Federal porque foi uma das unidades Federativas em que o governo antecipou o isolamento preventivamente, preocupado com as consequências da pandemia sobre o sistema de saúde pública da nossa região. Sem isso, fatalmente, o resultado seria o caos no atendimento do governo. Então, os empreendedores do DF começaram a lidar com restrições antes de comerciantes de outras partes do país. Muitos se perguntam quando é que acabará esse confinamento e, em consequência, como será a normalização do nosso dia a dia. É muito difícil prevermos o que vai acontecer porque agora é o período crítico e que se alongará até o fim do semestre. Com a maior renda per capita do país, brasilienses terão maior fôlego para aguentar um prazo maior do confinamento. No Distrito Federal, a opção mais comum entre os comerciantes para a saída de vendas é a migração para o e-commerce.;

Newton Marques,
conselheiro do Corecon-DF, professor do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares (Ceam) da UnB, mestre em doutor em economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)



Manual de sobrevivência

Startups se unem para ajudar

Pensando em auxiliar pequenas e médias empresas, as startups Octadesk, Gama Academy, Ramper e Runrun.it desenvolveram, juntas, o Manual de Sobrevivência para PMEs. O conteúdo é gratuito e dividido em seis categorias: negócios, vendas, atendimento, marketing, recursos humanos e gestão de equipe. O manual é atualizado com 12 vídeos por semana e, até o momento, conta com mais de nove horas de conteúdo contínuo. Acesse: materiais.octadesk.com/ manual-sobrevivencia.



As três ondas de comportamento empresarial


César Souza, fundador e presidente do grupo Empreenda, afirma que a pandemia do novo coronavírus provoca aos líderes empresariais três ondas comportamentais. São elas:


Emergencial
Esta é a fase de resposta aos problemas que surgiram com a pandemia. Momento de tomar as providências cabíveis para proteger a população, por exemplo, a adoção ao home office. ;O foco maior é com a saúde e a segurança;, ressalta César.
Gestão da crise
Segundo a previsão de César, nas próximas semanas serão implementadas estruturas para a gerenciar a crise. Questões de aspectos legais, tributários, financeiros e comunicacionais deverão ser abordados pelos comitês. As ações devem refletir em benefícios não só para empresa, mas também para os clientes e a comunidade.
Reflexão estratégica
Etapa de análise. O empresário deve observar quais foram os lucros e os prejuízos e, principalmente, saber aproveitar as novas oportunidades. É importante se questionar se vale a pena continuar com aquele serviço aplicado durante o isolamento, como o delivery. ;A primeira e a segunda onda acontecem por uma questão de sobrevivência. A terceira é o futuro;, afirma César.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação