Trabalho e Formacao

Reforço na linha de frente contra a pandemia

Aumentam as oportunidades abertas para profissionais de saúde atuarem tanto no SUS quanto na rede particular. Vários recém-formados estão sendo contratados, incluindo os que tiveram a formatura antecipada

postado em 10/05/2020 04:20
Equipe de saúde de hospital particular da Rede D'Or envia mensagem de consolo por meio de foto

Há dois meses, em 11 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarava a covid-19 como pandemia. Um pouco antes, no fim de fevereiro, era anunciado o primeiro caso identificado do novo coronavírus no Brasil. Desde então, a vida de profissionais da saúde atuando na linha de frente contra a doença não é mais a mesma. A disseminação do vírus preocupa governos de todo o globo pelo alto nível de contágio, que pode ocasionar colapso nos sistemas, além de consequências sérias aos pacientes mais graves. No Brasil, até a noite de sexta-feira (8/5), eram mais de 145 mil casos confirmados, mais de 9,8 mil mortos e uma taxa de letalidade de aproximadamente 7%.

Com base na evolução dos casos no país, há esforços das autoridades para ampliar o quadro de funcionários que atuam atendendo infectados e prevenindo o contágio de outros. Entre as principais medidas está o programa O Brasil Conta Comigo, lançado pelo Ministério da Saúde. A iniciativa promove a capacitação de profissionais para o enfrentamento à pandemia e contratações temporárias, que podem ser renovadas por até seis meses. O programa recebeu cerca de 500 mil inscrições de interessados em atuar no combate ao coronavírus. De acordo o último levantamento do Ministério da Saúde, são 394 mil cadastros referentes a 14 áreas e mais de 103 mil estudantes de medicina, enfermagem, farmácia e fisioterapia.

Manaus (AM) recebeu, na última segunda-feira (4/5), a primeira equipe do programa que fará a capacitação presencial para o combate à covid-19. Os profissionais reforçarão a capacidade de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) do estado do Amazonas. O início das atividades está previsto para esta segunda (11/5). Inicialmente, os trabalhadores ficarão na capital para, depois, serem deslocados para Tabatinga, Itacoatiara e Manacaparu. Foram convocados para o estado 37 médicos, 118 enfermeiros, 57 técnicos em enfermagem, 12 farmacêuticos, 17 biomédicos e 26 fisioterapeutas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação