Trabalho e Formacao

Mudanças no jeito de atuar

postado em 24/05/2020 04:15
Tony Ventura, palestrante de tecnologia e blogueiro do Correio

As revoluções forçadas pela pandemia agregam conhecimento às pessoas. ;Esta crise acelerou a inteligência tecnológica da população em 10 anos. Todos agora sabem alguma coisa a mais de tecnologia;, analisa o palestrante de tecnologia e inovação Tony Ventura, autor de blog que leva o nome dele no site do Correio Braziliense. As mudanças também devem afetar a cultura organizacional das empresas e a rotina dos profissionais, a exemplo do trabalho remoto, que tem sido avaliado de maneira positiva por muitas entidades.

Afinal, esse modelo permite a redução de custos ligados à manutenção do escritório e deslocamento dos trabalhadores. ;Algumas empresas perceberam que os funcionários têm mantido a produtividade trabalhando em casa;, explica ;É claro que, para outras instituições, o trabalho remoto pode não ter funcionado tão bem. Mas muitos empresários vão pensar: por que eu vou pagar R$ 200 mil de aluguel em um prédio se eu posso colocar o home office e ter os mesmos resultados?;, explica.

Ele destaca que os profissionais devem estar preparados para esse novo modo de trabalho. Na transição durante a pandemia, improvisos são perdoados, mas, depois, será preciso aperfeiçoar. ;Ninguém vai querer contratar um professor para dar uma aula on-line com a internet picotando, com ele travando, ou em um ambiente feio;, justifica o publicitário formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub).

;Se um professor vai dar aula e tem um barulho de reforma atrás, é horrível para os alunos.; Para solucionar problemas como esse, há dispositivos on-line gratuitos. ;Existem ferramentas hoje, como o Zoom, que mudam o fundo do lugar onde você está. Há outros que cortam ruídos do ambiente;, exemplifica o mestre em negócios sustentáveis pela Maharishi University of Management.


Momento de transição

É importante ressaltar que a prática forçada do trabalho remoto, como vivenciada por muitos trabalhadores hoje, é bastante diferente do home office opcional, como explica a professora do IGTI Fernanda Farinelli. ;Quando o profissional opta pelo trabalho remoto, em geral ele se prepara para isso. O modelo imposto pela pandemia fez com que muitos profissionais não simpatizassem com o home office, pois eles não estavam preparados;, diz.

;Por exemplo, alguns profissionais, pais e mães, reportaram dificuldades com o trabalho em casa porque precisam compartilhar o notebook com os filhos para eles acompanharem as aulas a distância;, pontua a mestra em administração pela Fundação Pedro Leopoldo. ;Outros tiveram de incluir tarefas domésticas em suas agendas e conciliar com o trabalho. Na dinâmica da pandemia, pais e mães não só precisam ensinar aos filhos como estudar remotamente, mas também inventar ou criar atividades para distrai-los.;


"Muitos empresários vão pensar: por que eu vou pagar R$ 200 mil de aluguel em um prédio se eu posso colocar o home office e ter os mesmos resultados?;
Tony Ventura, palestrante de tecnologia e blogueiro do Correio


"Quando o profissional opta pelo trabalho remoto, em geral, ele se prepara para isso. O modelo imposto pela pandemia fez com que muitos profissionais não simpatizassem com o home office, pois eles não estavam preparados;
Fernanda Farinelli, professora do IGTI e doutora em ciência da informação


Acesse!
  • blogs.correiobraziliense.com.br/
  • blog-tecnologia-tony-ventura

Explore!

www.remove.bg

Remove os fundos das fotos com inteligência artificial.

www.whereby.com

permite fazer videochamadas com até quatro pessoas e editar arquivos no Google Drive.

www.loom.com
Permite gravar vídeos com a câmera do computador e salvar na nuvem.

www.squoosh.app
Permite reduzir o tamanho de fotos sem que elas percam a qualidade.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação