Trabalho e Formacao

A distância até dezembro

postado em 05/07/2020 04:08
Guilherme Dias,CMO de startup de recrutamento



A Gupy, startup de recrutamento e seleção, foi uma das empresas que estenderam o home office pelo menos até o fim do ano. A medida visa, sobretudo, proteger os trabalhadores, mas, de acordo com Guilherme Dias, CMO (diretor de marketing) e cofundador da companhia, o trabalho remoto tem sido vantajoso, também, em termos de produtividade.

;No começo da pandemia, tivemos que ajustar processos, reuniões e ferramentas, mas, uma vez que nosso time de gente e gestão e a liderança da Gupy conseguiram implementar as mudanças, percebemos uma melhoria na eficiência da organização como um todo;, lembra. ;Conseguimos aumentar nossas receitas em 25% no primeiro trimestre do ano e, novamente, no segundo trimestre.;

Guilherme, engenheiro químico pela USP, explica que a empresa ainda está estudando qual será o melhor formato para 2021. ;Acreditamos que vamos voltar ao presencial, mas, certamente, muito mais flexíveis para pessoas ou equipes que desejem trabalhar de forma remota. Esses aprendizados e quebras de paradigmas que a pandemia trouxe às organizações estão mostrando como podemos nos reinventar;, diz.

Adaptação

Ele conta que, no início, o trabalho a distância foi difícil para os colaboradores, mas, com o tempo, a empresa encontrou estratégias para manter a equipe unida. ;Temos um time que é extremamente amigo e próximo. Por isso, o isolamento social tornou o início do home office um pouco mais difícil;, admite. ;Certamente aprendemos como minimizar essas questões criando happy hours virtuais, rodas de discussão durante e fora o horário de trabalho e atividades de descompreensão em equipe (como aulas de culinária, por exemplo);, exemplifica.

;Hoje, vemos ;gupiers; que não gostavam do trabalho em casa já apaixonados pelo modelo.; Os colaboradores ganham um auxílio de R$ 120 para a internet e receberam, no início da pandemia, um suporte de R$ 1.200 para mobiliarem melhor o escritório. ;Algumas pessoas precisavam de novas mesas ou cadeiras, por exemplo. Queremos garantir que todos tenham ótimas condições para criar um ambiente de trabalho prazeroso;, afirma Guilherme.

Quando questionado se o home office deve se tornar uma tendência após a pandemia, ele não duvida: ;Certamente. Embora algumas organizações que passaram pela experiência possam preferir voltar ao mundo presencial quando possível, acredito que a situação tenha mostrado como é possível, ao menos, flexibilizar um pouco as regras de trabalho remoto;.


"Acreditamos que vamos voltar ao presencial, mas, certamente, muito mais flexíveis para pessoas ou equipes que desejem trabalhar de forma remota;
Guilherme Dias,CMO de startup de recrutamento



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação