Publicidade

Correio Braziliense

Conheça os primeiros colocados da primeira chamada do PAS/UnB

O topo da lista pertence a um futuro médico. Em terceiro lugar, ficou um aprovado em engenharia da computação. Resultados foram divulgados nesta quarta (22/1)


postado em 22/01/2020 19:31 / atualizado em 22/01/2020 22:13

Gustavo (ao centro) comemora o primeiro lugar com amigos(foto: Arquivo Pessoal)
Gustavo (ao centro) comemora o primeiro lugar com amigos (foto: Arquivo Pessoal)
 
Estar nas lista dos aprovados de uma seleção como o Programa de Avaliação Seriada da Universidade de Brasília (PAS/UnB) já é um grande feito. Imagine, então, conquistar uma vaga e ainda ser o primeiro colocado. Essa foi a emoção que Gustavo Gentil Jacobina, 17 anos, viveu nesta quarta-feira (22/1). A primeira chamada do subprograma 2017-2019 foi divulgada às 17h. Entre os 1.951 convocados para o primeiro semestre, Gustavo aparece no topo da lista.

Gustavo Gentil Jacobina, primeiro lugar no Programa de Avaliação Seriada(foto: Arquivo Pessoal)
Gustavo Gentil Jacobina, primeiro lugar no Programa de Avaliação Seriada (foto: Arquivo Pessoal)
Ele passou para medicina. O jovem terminou o ensino médio ano no Colégio Pódion. A escolha pela área da saúde foi motivada pela admiração que Gustavo tem por parentes e amigos médicos. “Estava na dúvida sobre curso, mas, como via muitas pessoas que eram referência na minha vida dentro dessa profissão, eu me interessei. Acabei pesquisando sobre e foi o que ficou”, conta. 
 
Gustavo não fez cursinho preparatório. Além de assistir a aulas pela manhã, o adolescente tinha o costume de passar a tarde na escola, seja para continuar estudando, seja para jogar com amigos. O tempo de dedicação aos estudos variava bastante. A prioridade era manter um hábito de estudos constante, porém equilibrado. 

“Nunca fui de me matar de estudar. Às vezes, ficava uma hora. Outros dias, permanecia mais ou até nem estudava muito quando estava cansado. Não queria uma rotina que me danificasse psicologicamente”, explica. Como mora em Brasília, escolher estudar na capital federal foi um caminho natural. 

Gustavo (de azul) comemora a aprovação com amigos: Raphael Akira Hirara Iwamoto (3° lugar em engenharia de produção, de branco e de óculos) e João Vitor Yoshio Fernandes Yokoyama (1° lugar em ciências econômicas, de cinza e braços abertos ao fundo), Rodrigo Mendes Rabelo (loiro), Victor Rimes Soares Pinto (de branco), João Vitor Rodrigues Gomes (de preto e roxo)(foto: Arquivo Pessoal)
Gustavo (de azul) comemora a aprovação com amigos: Raphael Akira Hirara Iwamoto (3° lugar em engenharia de produção, de branco e de óculos) e João Vitor Yoshio Fernandes Yokoyama (1° lugar em ciências econômicas, de cinza e braços abertos ao fundo), Rodrigo Mendes Rabelo (loiro), Victor Rimes Soares Pinto (de branco), João Vitor Rodrigues Gomes (de preto e roxo) (foto: Arquivo Pessoal)
Aqui, é mais fácil que os pais deem a ele o suporte necessário durante os anos da graduação em medicina. Por essa razão, a UnB sempre foi a prioridade. A aprovação pelo PAS já era esperada devido às excelentes notas que o calouro tirou nas etapas anteriores.

Entretanto o primeiro lugar foi uma surpresa. “Por mais que eu já esperasse passar, é muito diferente quando você vê o seu nome na lista”, relata. Gustavo não pôde comparecer à recepção dos calouros presencialmente no Teatro de Arena do câmpus Darcy Ribeiro porque está em Florianópolis. Na capital de Santa Catarina, o jovem faz uma viagem com amigos para comemorar a formatura, vários deles, inclusive, também passaram na UnB pelo PAS.

O 3º colocado já esperava o resultado

O estudante Nicolas Varela Auler, 18 anos, passou em terceiro lugar no ranking geral do câmpus Darcy Ribeiro para o curso de engenharia da computação pelo Programa de Avaliação Seriada da Universidade de Brasília. Aluno do Colégio Pódion, ele conta que, de certo modo, já esperava o resultado, pois vem se preparando e tendo experiências positivas há algum tempo.

Nicolas passou em terceiro lugar no Darcy Ribeiro, mas quer estudar em São Paulo(foto: Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press)
Nicolas passou em terceiro lugar no Darcy Ribeiro, mas quer estudar em São Paulo (foto: Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press)
“No ano passado, fiquei em segundo lugar na classificação geral. Logo, isso me deu certa confiança de que a aprovação viria este ano", relata. No entanto, Brasília  não é a primeira opção de cidade em que o jovem deseja estudar. O foco de Nicolas é São Paulo, mais precisamente a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade de São Paulo (USP). 

"Fiz o vestibular das duas ano passado e, para o mesmo curso. Estou aguardando o resultado. Caso passe em alguma delas, não irei me matricular na UnB", conta. Ele revela que "estava muito indeciso em relação à escolha do curso”. Ele não tinha muita certeza, mas se decidiu pela área após compreender “que era uma boa oportunidade por se tratar de uma profissão do futuro". 

Nicolas conta que a preparação que adotou para o PAS se baseou apenas nas aulas do colégio. "Isso porque eu dediquei um esforço maior para as outras duas universidades, pois são as que realmente quero", admite.  

Campeão do câmpus Gama

Rafael cursará engenharias(foto: Arquivo pessoal)
Rafael cursará engenharias (foto: Arquivo pessoal)
Rafael de Medeiros Nobre, 18, é o primeiro colocado do câmpus Gama da UnB. A unidade oferta cursos das engenharias (aeroespacial / automotiva / eletrônica / energia / software em bacharelados). Nos primeiros semestres, os calouros estudam matérias de todas as áreas e, em certo momento da graduação, optam por uma só. 
 
O estudante, que escolheu as engenharias quase no fim do ensino médio, feito no Único Educacional de Taguatinga, ainda não optou por uma área. “Eu não escolhi ainda, mas eu gosto mais da parte de elétrica e eletrônica”, confessa.
 
A preparação para o PAS foi "leve". Além de assistir às aulas, Rafael estudava um pouco em casa. Ter uma rotina de estudos nunca foi o forte do aluno. “O meu método foi prestar muita atenção às aulas e fazer muitos exercícios. Só o colégio que amparou a aprovação”, conta. 
 
Embora a ideia do primeiro lugar não passasse pela cabeça de Rafael, os amigos do calouro imaginavam a conquista. “Eu tinha uma noção de que poderia passar, fiz as contas. Meus colegas sempre brincavam dizendo que eu ia passar em primeiro e eu dizia que não, mas acabou dando certo”, diz. 
 
O sentimento é de realização. O estudante conta que estava nervoso para o resultado, mas a ansiedade agora é para o início das aulas. Ele pesquisou antes de se inscrever e concluiu que a UnB é uma referência em engenharia. A universidade era única opção, por isso ele não chegou a fazer a inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). 
 
Rafael dá o crédito da aprovação à junção do esforço individual com o apoio que recebeu da família e da escola. “É uma conquista que não partiu só de mim e, sim, de um grupo de pessoas que fizeram isso acontecer”, afirma.  
 
Ver galeria . 60 Fotos Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press
(foto: Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press )
 

Dedicação para Ceilândia

Sophia Tassi Tostes Alves, 18, tem como primeira e única opção a Universidade de Brasília. A dedicação e o esforço para realizar o sonho vieram da melhor forma possível. Ela foi aprovada em primeiro lugar para o curso de farmácia no câmpus Ceilândia pelo Programa de Avaliação Seriada.
 
Moradora de Taguatinga, ela descobriu que tinha passado em casa, junto da família. Sophia tinha dúvidas em relação de que carreira seguir, mas a “identificação com a área e as melhores chances no mercado de trabalho ajudaram a decidir”.
 
Desde o 1º ano do ensino médio, o PAS é o foco da estudante, porque ela o considera a melhor forma de entrar na UnB. “É mais tranquilo e justo, pois você é avaliado a cada ano, não por uma única prova como é no vestibular e Enem”, conta. 
 
A recém-aprovada em farmácia diz que nunca fez um curso preparatório, por achar que “não agregaria muito”. Estudava apenas com o que aprendia na escola e as duas horas por dia que separava de segunda a sábado, sempre na parte da noite. 
 
Sophia acredita que uma boa dica para aqueles que desejam se dar bem nos estudos é focar a redação. “Nas últimas duas semanas antes da prova, fiz por volta de 30. Ela é importante, principalmente para critério de desempate quantas as notas ficam iguais”, aconselha. Por fim, sugere que os interessados em passar pelo PAS façam revisão.


*Estagiários sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

Colégio promove debate sobre futuro do Enem 19:18 - 09/07/2020 - Compartilhe

Colégio promove debate sobre futuro do Enem

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade