Publicidade

Correio Braziliense

Água é um dos grandes problemas da humanidade, diz Gilberto Kassab

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações diz que o evento 8º Fórum Mundial da Água é uma das principais portas de entrada para o desenvolvimento de políticas públicas vinculadas ao tema


postado em 19/03/2018 19:04

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

 
Em painel do 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília, nesta segunda-feira (19/3), o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, afirmou que “a água, que já há muito tempo é um dos grandes problemas da humanidade, passará a ser, em breve, o maior problema de todos os países”. Para ele, o evento é uma das principais portas de entrada para o desenvolvimento de políticas públicas vinculadas ao tema. “É evidente que o mundo precisa se preparar para ter, no assunto água, um fator de convergência e não de divergência”, apontou. Para ele, o Fórum é um sinal de que “o mundo caminha para a convergência”. 

Kassab ressaltou, a situação "singular" do Brasil em relação aos recursos hídricos. Embora a Bacia Amazônica seja fonte de aproximadamente 70% da água doce do país, na região Norte mora uma população “bastante reduzida frente à população brasileira”. Ao mesmo tempo, a região Nordeste, que abriga cerca de 30% dos brasileiros, tem apenas 3% das fontes de água. “Imagina o que significa isso em termos de infraestrutura e medidas emergenciais todos os anos”, ponderou.

O ministro também lembrou a crise hídrica enfrentada no país. “Cinco anos atrás, o Brasil começou a conviver com uma enorme crise hídrica na região Sudeste, onde temos a maior parte dos brasileiros morando, aproximadamente 40%”, disse. “Com isso, tivemos uma intensificação nas ações voltadas a corrigir as distorções em relação à água”, afirmou. Segundo o ministro, as ações não se voltam apenas à gestão do uso, mas à necessidade de investimentos diversos “para que possamos ter maior equilíbrio na água nos conglomerados urbanos”. 

Assim como o presidente Michel Temer, que mencionou a transposição do rio São Francisco na abertura do Fórum, pela manhã, Kassab afirmou, à tarde, considerar a medida uma das “grandes obras” de melhoria na gestão da água no país. “Vai nos permitir levar água para a região semi-árida, que produz 3%”, ressaltou. “Temos obras importantes nas cidade, que fizeram que os governos abandonassem projetos de outras áreas para dar prioridade a essas obras de infraestrutura”, acrescentou.

Intercâmbio


Kassab afirmou que o Brasil investe em tecnologia e tem iniciativas no semiárido do Nordeste para garantir a distribuição de água, mas “nada tão importante quando a existência de um fórum como esse, para que, cada vez mais, a gente possa ter esse intercâmbio de conhecimento”. "Um dos maiores investimentos do governo brasileiro nos últimos anos, diria nas últimas décadas, foi feito em viagens e cursos que nossos profissionais realizam em outros países”, disse o ministro. Os intercâmbios são, para ele, de “fundamental importância” para conhecer as medidas que têm sido adotadas fora e adequá-las ao Brasil, “nos permitindo caminhar para uma solução de equilíbrio”. 

Após apontar os caminhos que o país tem tomado, Kassab lembrou que as iniciativas resolvem de forma transitória um problema que é global. “São medidas paliativas, de curto ou médio tempo”, reforçou o ministro, lembrando que a situação precisa ser enfrentada por todos os países. “Sabemos que a água é um problema mundial. De nada adianta resolver o problema localizado, se sabemos que 3 bilhões de pessoas têm dificuldade de acesso à água”, lembrou. “O Brasil quer não apenas solucionar os problemas da sua população, mas contribuir para a solução global.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade