Publicidade

Correio Braziliense

Turistas aproveitam Fórum Mundial da Água para conhecer Brasília

Participantes aproveitam a estada na capital federal para visitar principais pontos turísticos, mas nem todos tiveram a sorte de encontrar os locais abertos


postado em 20/03/2018 06:00 / atualizado em 19/03/2018 22:42

Família Binda veio de Manaus e escolheu a Catedral como ponto de partida do passeio(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Família Binda veio de Manaus e escolheu a Catedral como ponto de partida do passeio (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)


Brasília entrou na rota de visitantes nacionais e estrangeiros que estão na cidade para debater a preservação e o uso consciente da água. O 8º Fórum Mundial da Água, evento mais importante do mundo que discute o futuro do recurso hídrico, atrai pesquisadores, estudantes, empreendedores e chefes de Estado. Mas, entre uma palestra e outra, o movimento maior é fora dos estacionamentos do Estádio Nacional Mané Garrincha e do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, onde ocorrem os debates. A área central de Brasília, que concentra os principais pontos turísticos da cidade, recebe centenas de pessoas  curiosas em conhecer a cultura da capital federal.

Além dos compromissos com os eventos do fórum, que começou no sábado e vai até sexta-feira, os turistas reservam tempo para conhecer as atrações históricas de Brasília. Na tarde de ontem, o centro da cidade recebeu engravatados, estudantes e mochileiros que registravam com fotos os locais por onde passavam. Os pontos mais movimentados eram a Torre de TV, a Catedral Metropolitana de Brasília, o Congresso Nacional e a Praça dos Três Poderes, mesmo com o espaço Lucio Costa e o Panteão fechados para visita.

A estudante de arquitetura Fernanda Eliza Rocha, 23 anos, aproveitou a tarde para conhecer a estrutura da Catedral. Junto do amigo que mora em Brasília, Carlos Henrique Vieira, 25, ela entrou no templo e se impressionou com o formato. Natural de Vitória, a jovem desembarcou em Brasília no domingo para participar dos primeiros dias do evento, mas volta para casa hoje. “Achei o local preservado, com uma arquitetura construída e bem documentada. Foi melhor do que eu imaginava vendo as fotos”, ressaltou.

Mesmo quem desembarcou na cidade para outros compromissos além do fórum, aproveitou para visitar Brasília. A família de João e Marilane Binda, 55 e 57 anos, chegou de Manaus, ontem, para emitir passaporte. Na companhia do filho Josias Binda, 29, da nora Naira Binda, 31, e da neta Alice Binda, 4, eles escolheram como primeiro ponto a Catedral. “Foi uma experiência bem completa, porque estava aberto e pudemos entrar e ver a edificação por dentro e por fora”, ressaltou João. O filho contou que, antes de escolher os pontos turísticos, a família fez uma pesquisa prévia. “Verificamos o que estava aberto para poder ir aos locais certos”, reforçou.

No letreiro “Eu amo Brasília”, abaixo da Torre de TV, Marcel de Oliveira, 30, tirava fotos para mostrar à família em Porto Alegre. Pela segunda vez na cidade, o enfermeiro subiu no mirante e viu Brasília de cima. “É um local bonito para tirar fotos e desfrutar do espaço. A cidade tem boa infraestrutura e aqui no centro é bem planejada, mas nas regiões mais distantes se assemelha a outros locais, como Porto Alegre”, comparou o enfermeiro, que chegou na quinta-feira e volta hoje para o Sul.

Espaços fechados

Nem todos contaram com a sorte de encontrar os locais abertos. Foi o caso dos tailandeses Sunisa Piyasuwan, 40, e Wijah Konyhman, 51. Eles estavam acompanhados de um grupo de turistas e visitaram a Praça dos Três Poderes na tarde de ontem, mas se depararam com o Panteão fechado, assim como o Espaço Lucio Costa.

Os tailandeses Sunisa (D) e Wijah ficaram desapontados ao encontar o Panteão fechado (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Os tailandeses Sunisa (D) e Wijah ficaram desapontados ao encontar o Panteão fechado (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

No primeiro, um aviso em português e em inglês informava que o local permanece fechado até 3 de abril para conserto no ar-condicionado. Já o segundo, só abre de terça-feira a domingo. Eles desembarcaram em Brasília no domingo e voltam para o país asiático na sexta-feira. “Ficamos desapontados, porque era o que a gente queria ver”, contou Sunisa. “É muito ruim chegar a um local e alguns pontos turísticos estarem fechados”, reclamou Wijah.

O administrador de Campo Grande Igor Vilas Boas, 33, fez o mesmo percurso, mas só conheceu as estruturas de fora. De malas prontas para o Jalapão (TO), ele também não pôde conhecer o Supremo Tribunal Federal (STF), porque vestia bermuda. “É frustrante. Cheguei ontem e vou embora hoje à noite (ontem) e não deu para conhecer o que eu tinha pretensão de ver a pé. Pelo menos consegui tirar algumas fotos de fora”, lamentou.

De Ipubi (PE), a empresária Clemildes Ramos Soares, 41, e a filha Evelyn Rayane Soares, 10, tentaram conhecer o Memorial JK, mas não conseguiram entrar, porque também estava fechado. O local abre as portas para visitação de terça-feira a domingo. Mas, além do museu, elas estiveram na Concha Acústica, na Torre de TV e na Catedral. Fizeram o tour acompanhadas do irmão de Clemildes, Wallison Rodrigues Soares, 25, morador do Distrito Federal. “Chegamos sexta-feira e vamos embora amanhã (hoje) de manhã. É ruim vir para uma cidade e não conseguir entrar nos principais pontos turísticos”, criticou a empresária.

Na Torre de TV Digital, fechada desde dezembro de 2016, havia só funcionários. Sem nenhuma movimentação de turistas, o local está fechado desde dezembro de 2016 para manutenção dos vidros que compõem o corpo da edificação, mas a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), responsável pelo espaço, disse que a previsão é reabrir o prédio ainda no primeiro semestre. Na semana passada, o órgão fechou um acordo com o consórcio construtor para os reparos e, no momento, busca interessados que queiram estabelecer uma parceria para gerir o ponto.

A Secretaria de Cultura informou que o horário de visitação do Centro Cultural Três Poderes é de terça-feira a domingo, das 9h às 18h, e, por isso, o Espaço Lucio Costa estava fechado. Em relação ao Panteão da Pátria, a pasta reforçou que o local estava fechado para manutenção, troca do ar-condicionado e dos carpetes, mas disse que reabriria o local em abril, antes do aniversário da cidade, no dia 21 de abril.

Programe-se
Pontos turísticos e culturais

Parque Nacional de Brasília (Água Mineral)
Funciona todos os dias, das 8h às 16h. É permitida a entrada de alimentos, mas vedado o consumo de bebidas alcoólicas. Os ingressos custam R$ 13. Crianças com menos de 13 anos e idosos acima dos 60 não pagam.

Zoológico
Abre de terça-feira a domingo, das 8h30 às 17h. O ingresso custa R$ 10. Estudantes, idosos, crianças de até 12 anos, professores e beneficiários de programas sociais pagam meia-entrada. Pessoas com deficiência e crianças com menos de 5 anos entram de graça.

Jardim Botânico
Abre de terça-feira a domingo, a partir das 7h para pedestres e ciclistas sem cobrança de ingresso.  Para a entrada com veículos, o horário é das 9h às 17h. O ingresso custa R$ 5. Crianças até 12 anos, pessoas acima de 60 anos e portadores de deficiência não pagam.

Parque Ecológico Ermida Dom Bosco
Aberto todos os dias, das 6h às 20h. É proibida a entrada de visitantes que estiverem portando bebidas alcoólicas, animais domésticos ou desejem acender fogueiras no local. Entrada franca.

Pontão do Lago Sul
Aberto todos os dias, das 7h à 1h, de graça, mas os restaurantes possuem horários de funcionamento independentes.

Centro Cultural Banco do Brasil
Abre de terça-feira a domingo, das 9h às 21h. Durante o fim de semana, há programações especiais e exposições. 
A entrada é gratuita.

Torre de TV
Abre de segunda-feira a domingo, das 9h às 19h.

Catedral Metropolitana de Brasília
Aberta de segunda a sexta-feira até as 17h.

Congresso Nacional
A visitação ao Senado Federal e à Câmara dos Deputados é gratuita, mas ocorre só às segundas e sextas-feiras e aos fins de semana. Para visitas às quintas-feiras, o agendamento é obrigatório e deve ser realizado até as 17h do dia anterior.

Planetário
Abre de terça-feira a domingo, das 8h às 20h; aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 21h. Ingresso 1kg de alimento não perecível.

Centro Cultural Três Poderes
Funciona das 9h às 18h.

Catetinho
Funciona com os horários de visitação normais, das 9h às 17h, de terça-feira a domingo.

Memorial do Povos Indígenas
Aberto de terça-feira a domingo, das 10h às 17h.

Espaço Lucio Costa
Aberto de terça-feira a domingo, das 9h às 18h.

Museu Nacional
Aberto de terça-feira a domingo, de 9h às 18h30.

Biblioteca Nacional de Brasília
Abre para visitação de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h.

Museu Vivo da Memória Candanga
Abre de terça-feira a domingo, das 9h às 17h.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade