Publicidade

Correio Braziliense

Notícia falsa atribui fim do carnaval e de paradas LGBT a Bolsonaro

O Holofote entrou em contato com a Presidência da República e a Casa Civil para verificar a informação

Compartilhar

postado em 03/01/2019 15:09 / atualizado em 04/01/2019 17:03

Suposto post adota tom sensacionalista para disseminar notícia falsa sobre carnaval e parada LGBT(foto: Reprodução internet)
Suposto post adota tom sensacionalista para disseminar notícia falsa sobre carnaval e parada LGBT (foto: Reprodução internet)

A informação de que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), assinaria um decreto para acabar com o carnaval e as paradas de orgulho LGBT no Brasil movimentou as redes sociais nesta quinta-feira (3/1). A reprodução de um suposta página do Facebook provocou dúvidas quanto a veracidade do conteúdo. O post alega que "uma notícia pode abalar os foliões de todo o país. Presidente Jair Bolsonaro pode assinar decreto cortando verba do carnaval e parada gay em todo o Brasil".

 

O Holofote entrou em contato com a Presidência da República e a Casa Civil. A assessoria de imprensa da Presidência, por contato telefônico, afirmou que não havia qualquer tipo de informação sobre o assunto no órgão.

 

 

 

A assessoria de Comunicação da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOGLBT/SP), coordenada por Fabrício Viana, informou que "a Parada é um movimento da sociedade civil garantida pela Constituição". Vale ressaltar que o Distrito Federal promove uma das paradas LGBTs mais relevantes do país. 

 

A polêmica ocorre dois dias após o Bolsonaro assinar a Medida Provisória de nº 870/19, que não menciona a população LGBT na lista de políticas e diretrizes destinadas à promoção dos direitos humanos

 

Com checagem de Guilherme Goulart e Igor Silveira e colaboração de Bárbara Cabral (especial para o Correio)

 

 

 

 

Etiquetas

Informação comprovadamente verdadeira


Informação parcialmente correta, mas precisa de esclarecimentos


Informação comprovadamente incorreta ou falsa


Afirmação ou dado exagerado coloca em xeque a informação


A fonte se valeu de ferramentas digitais para modificar foto, áudio ou vídeo


Contradição ameaça a credibilidade da informação


A equipe precisa de mais tempo para atestar a veracidade das informações


Faltam dados e fontes capazes de comprovar a informação


↑Topo