Publicidade

Correio Braziliense

Campanha #ESeFosseSeuFilho não é do governo federal

A campanha, na verdade, foi criada pelo grupo Juntos, uma iniciativa de mães de deficientes

Compartilhar

postado em 22/01/2019 15:01 / atualizado em 22/01/2019 15:34

 
Uma mensagem circula nas redes sociais atribuindo a campanha #ESeFosseSeuFilho a uma iniciativa do governo federal. De acordo com a mensagem, o Palácio do Planalto teria economizado R$ 1,5 milhão por não divulgar a propaganda na Rede Globo e em outras emissoras. Com o texto, são compartilhados vídeos estrelados por vários artistas. No entanto, o Holofote confirmou que a informação é falsa.
 
 

A campanha, na verdade, foi criada pelo grupo Juntos, uma iniciativa de mães de deficientes. Pelo Instagram, os responsáveis pelo Juntos publicaram uma nota de esclarecimento, na qual explicam que a página não tem ligação com "qualquer órgão governamental, partido político ou movimento partidário".

Entre os artistas que estrelaram a campanha estão as atrizes Betty Goffman, Isabela Garcia e Marina Lima, além da escritora Lau Patron. De acordo com o grupo, #ESeFosseSeuFilho serve para incentivar o debate sobre questões relacionadas ao preconceito sofrido por pessoas com deficiência, além de se apresentar como um "convite à empatia". 
 
Confira a nota do grupo Juntos na íntegra: 

"NOTA DE ESCLARECIMENTO:

 O @juntos_grupo não tem ligação nenhuma com qualquer órgão governamental, partido político ou movimento partidário.

Somos um movimento independente,  criado por um grupo de mães com o exclusivo propósito de promover ações para um mundo mais inclusivo e Humano.

Rechaçamos, assim, todo tipo de comentário que vise vincular o nosso movimento à atos políticos de qualquer natureza"
 
 
Checagem de Ana Carolina Fonseca

Etiquetas

Informação comprovadamente verdadeira


Informação parcialmente correta, mas precisa de esclarecimentos


Informação comprovadamente incorreta ou falsa


Afirmação ou dado exagerado coloca em xeque a informação


A fonte se valeu de ferramentas digitais para modificar foto, áudio ou vídeo


Contradição ameaça a credibilidade da informação


A equipe precisa de mais tempo para atestar a veracidade das informações


Faltam dados e fontes capazes de comprovar a informação


Informações conflitantes impedem a comprovação dos dados apresentados


Topo