Meu Lugar Ceilândia Meu Lugar Ceilândia
Publicidade

Correio Braziliense

História de Ceilândia se mistura com o Nordeste

Casa do Cantador foi criada justamente para abrigar a cultura nordestina na região


postado em 27/03/2018 06:00 / atualizado em 27/03/2018 06:38

Cleverton de Jesus:
Cleverton de Jesus: "A história de Ceilândia se confunde com as histórias dos cantadores" (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)


O Nordeste faz parte da alma de Ceilândia. O repente, o forró, tudo isso constitui a essência da cidade nascida em 1971. Principal ponto de cultura da cidade, a Casa do Cantador, tão admirada e lembrada pelos ceilandenses, foi criada justamente para abrigar a cultura nordestina na região.

“E existe uma ligação muito grande com a cultura nordestina por uma questão de identidade desde o começo da cidade. A história de Ceilândia se confunde com as histórias dos cantadores, com as pessoas que vieram de lá com essa tradição”, conta o músico, produtor e professor Cleverton de Jesus Silva, 45 anos, que trabalha na administração do espaço.

“A Casa do Cantador é importantíssima para a cidade. E ela surgiu em 1986 exatamente como um espaço voltado para as histórias do cantador, para essa necessidade de ter um local para essa cultura tão ligada a Ceilândia”, explica.

Abertura


Com o tempo, no entanto, a Casa do Cantador acabou abrigando manifestações culturais que não se relacionavam apenas com a cultura nordestina. O rock, o rap, o samba, a literatura e até o cosplay, por exemplo, encontraram abrigo na instituição.

“Ceilândia não é só nordeste e a gente não pode se limitar e deixar de lado a pluralidade da cidade”, acredita Cleverton.

A falta de outros espaços para a cultura na região também foi uma das razões para a abertura na Casa do Cantador. “Hoje, a Casa do Cantador é o centro cultural de Ceilândia, até pela falta de outros. Se não há locais para outras manifestações, a gente recebe aqui e movimenta também toda uma indústria ligada à cultura”, explica.


Pluralidade


O tamanho de Ceilândia, acredita o músico, é uma das razões para que a cidade tenha tanta diversidade também quando o assunto é cultura. “Ceilândia é uma cidade gigantesca, com uma população muito grande e por isso tem muita pluralidade, muita diversidade em todas as áreas.”

Cleverton destaca também a energia dos movimentos culturais ceilandenses. “Aqui sempre tem um evento acontecendo, sempre tem algo em que você possa ir todos os dias, de estilos muito variados e esses estilos se conectam.”

Casa do Cantador
(Quadra 32, Área Especial G — Ceilândia Sul; 3378-5067). Aberto de segunda a sábado, das 8h às 18h.