Publicidade

Correio Braziliense

Democratas cobra definição dos superdelegados

Chefe do partido quer conhecer o nome que disputará a Casa Branca até o final de junho


postado em 24/04/2008 17:18 / atualizado em 24/04/2008 17:30

Washington - Apesar de os líderes democratas reconhecerem que a disputa interna no partido será prolongada, enquanto Hillary Clinton e Barack Obama disputam a nomeação pela candidatura à Presidência dos Estados Unidos, eles afirmaram, segundo o jornal americano The Washington Post, que pressionarão por uma rápida conclusão da batalha assim que as primárias terminarem, no início de junho. A vitória de Hillary na Pensilvânia foi uma resposta aos democratas que aconselham que ela abandone a disputa antes do fim das prévias, já que Obama tem vantagem significativa no número de delegados. Porém, a liderança do partido está dividida sobre as conseqüências de mais seis semanas de campanha agressiva. "O que aconteceu na terça-feira [dia da vitória de Hillary] foi o que muitos de nós temíamos que acontecesse", disse o governador do Tennessee Phil Bredesen. "Ainda não há uma definição clara. Ela foi um pouco melhor do que o esperado, mas eles ainda seguem na briga, se atacando. Todos são atingidos e não há nocaute. Isso prolonga a disputa". Líderes expressaram a preocupação de que, se Hillary e Obama continuarem a focar a briga em si mesmos, o senador John McCain, o republicano nomeado, terá cada vez mais espaço para aumentar sua popularidade no país e começar a fazer campanha para as eleições gerais. Decisão dos superdelegados Porém, para o chefe do partido, Howard Dean, esta é a menor preocupação entre os democratas, já que para ele as primárias estão formando centenas de milhares de novos eleitores e que em alguns meses, isso será mais importante do que o combate entre Hillary e Obama. Mas Dean reiterou que quer que os superdelegados, que não estão comprometidos com nenhum candidato, se decidam assim que as primárias terminarem e anunciem o mais rápido possível o endosso a um dos pré-candidatos, antes que a briga interna prejudique ainda mais as chances do partido de ganhar a corrida pela Casa Branca em novembro. "Queremos saber quem será o nomeado antes do fim do mês de junho", afirmou. Bredesen, que propôs que os superdelegados se reúnam em junho para expressar suas preferências, disse que os líderes do partido devem forçar algum tipo de manifestação de apoio ainda em junho. "Está chegando a hora de o Partido Democrata se adiantar e exercitar sua liderança em resolver este impasse". Obama lidera em número de delegados eleitos (1.487 a 1.331), número impossível de ser alcançado por Hillary. Com isso, há duas possibilidades: ou a disputa vai até a convenção e será decidida pelos quase 800 superdelegados, ou algum dos dois candidatos desiste antes de agosto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade