Publicidade

Correio Braziliense

Contaminação da heparina teria sido intencional, denuncia laboratório

 


postado em 29/04/2008 14:32 / atualizado em 29/04/2008 14:33

WASHINGTON, 29 Abr 2008 (AFP) - A contaminação do anticoagulante heparina produzido na China, vinculado a uma centena de mortes nos Estados Unidos, parece ter sido intencional, declarou, nesta terça-feira (29/04), no Congresso Robert Parkinson, presidente do laboratório americano Baxter. Dezenas de pessoas faleceram após tratamento com a heparina, havia anunciado a FDA, agência americana de controle de medicamentos, no dia 9 de abril, ao identificar substância contaminante nos lotes do medicamento fabricados na China. O site do FDA informou que 103 pessoas morreram entre janeiro de 2007 e fevereiro de 2008. Dessas, 62 pessoas mostraram reações alérgicas. No mês passado, a agência reguladora informou a morte de 19 pessoas. No início de março, a FDA indicou que havia detectado uma substância contaminante não identificada nas injeções de heparina vendidas pela empresa farmacêutica Baxter International. A substância foi logo identificada, sulfato de condroitina sobre-sulfato (SCS), componente artificial obtido por modificação química. Os ingredientes ativos da heparina eram produzidos pelo laboratório Scientific Protein Laboratories (SPL), fornecedor da Baxter, em sua fábrica em Changzhou na China. A Baxter retirou no dia 28 de fevereiro o conjunto da heparina do mercado e interrompeu as importações enquanto se estabelecia o vínculo entre a substância contaminante e as severas reações alérgicas que causaram as mortes. Desde que os remédios foram recolhidos, a FDA não registrou nenhum novo caso de reação alérgica. A China é o maior fornecedor mundial de heparina, obtida dos intestinos dos porcos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade