Publicidade

Correio Braziliense

Hidroelétricas serão prioridades para Lugo

Presidente do Paraguai disse que Itaipu e Yacyretá serão um dos principais temas de sua agenda internacional


postado em 06/05/2008 15:34 / atualizado em 06/05/2008 15:40

ASSUNÇÃO - O presidente eleito do Paraguai, Fernando Lugo, reafirmou nesta terça-feira (06/05) que as duas hidroelétricas, Itaipu e Yacyretá - divididas com o Brasil e a Argentina, respectivamente -, serão um dos principais temas da sua agenda internacional. "A partir de agora, em todas as reuniões com as autoridades brasileiras e argentinas, estaremos centralizados nos casos de Itaipu e Yacyterá a favor da recuperação da soberania", disse Lugo para jornalistas nesta terça-feira. "Nosso interesse é renegociar um preço justo (por Itaipu) e estamos conversando com os técnicos sobre isso", disse. O presidente eleito acrescentou que as conversações de fato já se iniciaram com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com o chanceler Celso Amorim. "Se a agenda contribuir, em 16 de maio, em Lima, estaremos tratando do tema com o presidente Lula, durante a Cúpula América Latina-Europa”, afirmou Lugo. Briga por “preço justo” Ele disse também que tomou como "insígnia" de sua campanha eleitoral a renegociação dos tratados de Itaipu e Yacyretá, reiterando que são temas que não serão esquecidos. "O Paraguai precisa recuperar sua soberania e a forma de fazer isso é com o reconhecimento de um preço justo", disse. Lugo afirma que em vez dos US$ 300 milhões anuais que o Paraguai recebe pela venda da sua parte da energia de Itaipu para o Brasil, o "preço justo" - se referindo ao preço de mercado - está entre US$ 1,5 e US$ 2 bilhões. O analista Ramón Casco afirma que quando o tratado de Itaipu foi assinado em 1973, o preço do petróleo estava cotado em menos de US$ 3 o barril. "Hoje temos o barril a US$ 120. A energia elétrica que Paraguai vende ao Brasil continua custando menos de US$ 3 o megawatt/hora, como em 1973", disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade