Publicidade

Correio Braziliense

Ciganos protestam em Roma contra xenofobia

 


postado em 08/06/2008 15:03 / atualizado em 08/06/2008 15:04

ROMA - Cerca de 3 mil ciganos protestaram neste domingo (08/06) em Roma contra a xenofobia, após sérios distúrbios envolvendo essa etnia na Itália, que culminaram em incêndios de vários acampamentos. Essa é a primeira vez que eles se manifestam na Itália, onde calcula-se que vivam 150 mil ciganos, muitos de origem romena ou da ex-Iugoslávia mas em sua maioria italianos. Os manifestantes marcharam ao som da música tradicional e levando placas onde se podia ler "Não a xenofobia", "Detenham os progons", "os ciganos nunca foram a guerra" e "não a informação racista". Vários acampamentos de ciganos foram incendiados por populares em maio próximo de Nápoles, no sul. O episódio que desencadeou os ataques foi a suposta tentativa de seqüestro de um bebê por uma jovem cigana. Apesar da investigação sobre esse caso não ter encerrado, o jornal 'Il Giornale', do chefe de governo Silvio Berlusconi, teve como manchete de capa, no dia 19 de maio, "Como os ciganos vendem as crianças". A justiça da Itália não tem nenhum caso comprovado de seqüestro de crianças por ciganos. O governo inclusive já nomeou um responsável que irá coordenar a questão cigana em Roma, Milão e outras grandes cidades, com o objetivo de acabar com os acampamentos ilegais. O novo prefeito de Roma, o ex-neofacista Gianni Alemanno, ordenou que a polícia da capital esvaziasse na sexta-feira (06/06) um acampamento instalado no bairro popular de Testaccio, próximo do centro. Seus 122 habitantes, todos italianos, foram levados para um bairro da periferia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade