Publicidade

Correio Braziliense

Entrevista com David Karol: "Obama precisa unificar o partido"

 


postado em 26/06/2008 09:51 / atualizado em 26/06/2008 10:16

Em entrevista ao Correio, por e-mail, o norte-americano David Karol, professor de ciência política da Universidade da Califórnia-Berkeley, afirmou que o candidato democrata Barack Obama não pode se eleger presidente dos Estados Unidos sem o apoio de simpatizantes da ex-primeira-dama Hillary Clinton. Para chegar ao Salão Oval da Casa Branca, Obama terá de superar ressentimentos de campanha e construir uma sólida base

Que benefícios Hillary Clinton terá ao apoiar explicitamente Barack Obama amanhã (quinta-feira)?
Hillary precisa de ajuda para pagar suas dívidas de campanha e Obama pode ser útil nesse sentido. Para Hillary, é essencial ser vista como uma democrata leal, deixando sua amargura para trás e trabalhando pela vitória do partido. Se ela aparecesse como uma "perdedora ferida", poderia alienar quem a apoiou e danificar seu engajamento pelos democratas e pelo senado. Mesmo seu papel na história correria o risco de ser maculado. Apesar de ressentimentos de campanha, as políticas de Hillary e de Obama são tão similares que, caso ela não o apoiasse, seria vista como egoísta, imoral e insignificante. Há indicações de que ela entenda tudo isso.

E que vantagens o apoio de Hillary traria a Obama?
Obama precisa unificar o partido e aglutinar as simpatizantes de Hillary. A disputa entre eles foi muito intensa e os simpatizantes de Hillary representavam quase que metade do partido. Obama não pode ganhar sem eles e sabe disso. Os últimos três candidatos antes de Obama que ganharam somente após uma longa e amarga batalha foram Walter Mondale (1984) e os presidentes Gerald Ford (1976) e Jimmy Carter (1980). Todos os três perderam e o conflito intrapartido foi um fator decisivo para a derrota. Ao reconciliar com a senadora Hillary Clinton, Obama busca evitar o destino desses candidatos.

Em que estados o apoio de Hillary pode ser importante para Obama?
Não se trata realmente de uma questão de apelo regional. O estado de Nova York é muito democrata, então ele não teria problemas. Em alguns de outros estados nos quais ela venceu por grande diferença — Kentucky, Virginía Ocidental e Arkansas —, Obama terá tempos difícieis. Onde quer que a disputa com McCain seja apertada, o apoio dos militantes de Hillary será importante.

Quais grupos de eleitores poderiam se voltar a favor de Obama, por causa do apoio de Hillary?
Hillary ganhou apoio de muitos elementos do partido: mulheres, classe branca operária, idosos, latinos e asiáticos, gays e lésticas, e judeus. E acho que para todos os simpatizantes desapontados de Hillary será importante ver que ela apóia fortemente Obama e que está tratando-o com respeito. Esse tema do respeito parece especialmente importante entre mulheres idosas e feministas, que se identificam fortemente com Hillary e sentem que ela foi maltrada na campanha.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade