Mundo

China condena presença de dissidentes na Casa Branca

;

postado em 31/07/2008 08:07
PEQUIM - A China manifestou na noite desta quarta-feira seu grande descontentamento pelo encontro do presidente americano, George W. Bush, com vários dissidentes chineses, lamentando a "má mensagem" enviada aos opositores. "Organizando tais encontros e realizando observações irresponsáveis sobre os direitos humanos e a situação religiosa na China, os Estados Unidos estão interferindo em assuntos internos chineses e enviando uma má mensagem às forças hostis;, declarou o porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, Liu Jianchao. "Expressamos nosso grande descontentamento e nossa firme oposição a esta situação;, disse o porta-voz. Bush recebeu na terça-feira, na Casa Branca, um grupo de dissidentes chineses, dez dias antes de viajar à China para a abertura dos Jogos de Pequim. Nesta quarta, Dennis Wilder, funcionário da Casa Branca, informou que Bush assistirá a uma missa e discursará sobre a liberdade de religião durante sua permanência na China. O porta-voz chinês denunciou ainda a adoção, pela Câmara de Representantes, da resolução que exorta Pequim a deter as violações dos direitos humanos e suspender seu apoio a governos pouco transparentes, como os de Sudão e Myanmar, para se alinhar à "tradição olímpica de liberdade e abertura". Os Estados Unidos devem restringir estes "comportamentos odiosos" de um "punhado de parlamentares americanos antichineses, disse Liu Jianchao. Esta resolução do legislativo americano "mostra a intenção de politizar as Olimpíadas, de perturbar e sabotar os Jogos de Pequim".

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação