Publicidade

Correio Braziliense

Decifrada a chave para o desenvolvimento do câncer

 


postado em 01/09/2008 18:42 / atualizado em 01/09/2008 18:44

As respostas para a cura do câncer e o retardo do envelhecimento podem estar na compreensão de um mecanismo genético essencial no início da vida e supérfluo durante a fase adulta. Sob o comando do grego Emmanuel Skordalakes, especialistas do The Wistar Institute — com sede na Filadélfia (Estados Unidos) — decifraram a estrutura da telomerase, uma espécie de "máquina molecular" que desempenha um papel crucial no desenvolvimento de tumores e na senilidade. O estudo foi publicado na revista Nature e atraiu a atenção da comunidade científica internacional. Em entrevista ao site do Correio Braziliense, Skordalakes explicou que a telomerase concentra os nucleotídeos (código genético das células) em uma única cadeia (telômeros), na extremidade dos cromossomos. "Os telômeros se tornam mais curtos a cada divisão celular", afirmou o grego. "Em células cancerígenas, que se dividem de modo intenso, os telômetros ficam curtos rapidamente. A telomerase é necessária para ampliar os telômetros, caso contrário as células e o próprio tumor morrerão", acrescentou. Entender o processo — ativo em células do cabelo, da pele e do esperma — é essencial para a produção de fármacos capazes de bloquear a telomerase e impedir a evolução do tumor. "Se inibirmos a ação da telomerase em tumores, as células cancerígenas eventualmente vão envelhecer e o tumor será eliminado", acredita Skordalakes, professor do Programa de Regulação e Expressão Genética do The Wistar Institute. De acordo com ele, a molécula é encontrada em cerca de 90% dos tumores humanos e permanece desativada em tecidos saudáveis. "Em outras palavras, temos em nossas mãos um alvo em potencial para todos os tipos de câncer, com efeitos colaterais limitados", comemorou. Até chegarem à estrutura tridimensional da telomerase, Skordalakes e sua equipe precisaram superar problemas técnicos. "Não tínhamos a proteína — chamada Tert — isolada em quantidade suficiente para o estudo proposto. Superamos essa dificuldade por meio do mapeamento dos genes de uma vasta gama de organismos, até descobrimos que o escaravelho liberava cópias da proteína", comentou o cientista. Após isolarem a Tert, os pesquisadores purificaram a proteína e a transformaram em cristais. "Submetemos a substância à cristalografia de raios-X, técnica que analisa os padrões de difração dos raios-X emitidos pelos cristais de uma molécula para determinar sua estrutura", acrescentou Skordalakes. O autor da pesquisa acredita que a estrutura é uma ferramenta poderosa para a identificação e o desenvolvimento de terapias de doenças humanas. Tentativas anteriores de decifrar a telomerase haviam fracassado, em parte porque a estrutura tridimensional da enzima era desconhecida. "O conhecimento da forma dessa molécula vai ajudar os cientistas a determinar as limitações de agentes existentes e torná-los mais efetivos, além de começar a buscar novos inibidores que ataquem essa enzima", concluiu Skordalakes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade