Publicidade

Correio Braziliense

Trabalhadores da América Latina não precisam de falso populismo

 


postado em 21/10/2008 16:49 / atualizado em 21/10/2008 17:54

Washington - Os camponeses e trabalhadores da América Latina não precisam de falso populismo, e sim de verdadeira justiça social, afirmou nesta terça-fira o presidente americano, George W. Bush, durante uma reunião sobre o desenvolvimento na Casa Branca. "O que precisam os camponeses e trabalhadores da América Latina não é falso populismo", disse Bush para líderes de países em desenvolvimento, entre eles a presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf. O que precisam "é de verdadeira justiça social, e os Estados Unidos se comprometem a ajudá-los para isso", continuou. "Nos últimos anos, vimos avanços alentadores para a democracia e a livre iniciativa na América do Norte e do Sul. Mas também ouvimos vozes que colocam em dúvida o valor do livre mercado e da livre circulação de pessoas", advertiu. "Quando as jovens democracias não levam melhorias para a vida de suas populações, essas populações podem começar a perder a fé na sociedade livre", explicou. Os Estados Unidos deram mais de 15 bilhões de dólares em ajuda para a região "desde que assumi a presidência" em 2000, afirmou Bush. "A verdadeira justiça social requer instituições governamentais que sejam justas, efetivas e livres de corrupção", indicou o presidente americano. Bush deu três exemplos dessa colaboração com governos da região: o treinamento de oficiais da polícia em El Salvador para combater redes criminosas, a luta contra os traficantes no México e os programas de assistência à Colômbia contra o narcotráfico. Acabar com as barreiras comerciais é outro importante instrumento de combate à pobreza, segundo o presidente americano, que defendeu um desfecho bem sucedido para a Rodada de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC). Os Estados Unidos investiram 6,7 bilhões de dólares em 35 países através de seu programa Desafio do Milênio, que canaliza a ajuda internacional do governo, informou Bush.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade