Publicidade

Correio Braziliense

Termina reunião entre Lula e Obama

 


postado em 14/03/2009 13:56 / atualizado em 14/03/2009 16:27

Terminou depois de aproximadamente uma hora, por volta de 16h, a reunião entre o presidente americano, Barack Obama e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Este foi o primeiro encontro entre o recém empossado presidente americano e o mandatário brasileiro. Confirmando expectativas, em entrevista após a reunião, os dois chefes de Estado confirmaram que a crise economica dominou a conversa. Obama relatou ainda a importância do Brasil na América Latina e o interesse do governo americano pelo biocombustível. Lula disse que a reunião do G20, em Londres, será decisiva para encontrar soluções e resolver a crise financeira mundial e cobrou uma decisão rápida dos líderes presentes. Segundo o presidente brasileiro o desemprego é um dos problemas mais graves da crise e afirmou que "o desempregado de hoje é o problema social de amanhã". Segundo o presidente Lula é preciso reestabelecer o crédito no mundo e a confiança e credibilidade do sistema financeiro e dos governos com a população. Outros temas também estiveram presentes na conversa entre os dois líderes. Entre eles a relação dos Estados Unidos com a América Latina e a Rodada de Doha. No final do seu pronunciamento Lula ainda fez uma brincadeira com o presidente americano e disse que não gostaria de estar em seu lugar. "Nos meus atos públicos eu digo que estou rezando mais por ele (Obama) do que por mim, porque com apenas 40 dias de mandato, ter um pepino como esse. Eu não queria estar no lugar dele", disse Lula. Para responder Obama disse que esse é o mesmo pensamento da sua mulher Michell. O presidente boliviano, Evo Morales, assim como seu colega venezuelano, Hugo Chávez, saudou sexta-feira a gestão de Luiz Inácio Lula da Silva junto ao líder dos Estados Unidos, para melhorar a relação de Washington com a região. "Saúdo a iniciativa do companheiro Lula", disse Morales em La Paz sobre a possível gestão do líder brasileiro no seu encontro deste sábado com Obama, em Washington, em favor de Bolívia, Cuba e Venezuela. Com France Press

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade