Publicidade

Correio Braziliense

Orquestra de jovens palestinos é fechada

 


postado em 29/03/2009 18:07 / atualizado em 29/03/2009 18:08

Autoridades palestinas desmontaram uma orquestra de jovens músicos de um campo de refugiados na Cisjordânia depois de eles terem se apresentado para um grupo de sobreviventes do Holocausto em Israel, informou neste domingo (29/03) um funcionário do governo. Adnan Hindi, do campo de Jenin, classificou o Holocausto como "tema político" e acusou a regente Wafa Younis de arrastar as crianças desavisadas para uma disputa política. Ele acrescentou que Younis foi impedida de entrar no campo e o apartamento onde ela ensinava música aos 13 membros da orquestra Cordas da Liberdade foi isolado. "Ela explorou as crianças", disse Hindi, líder do "comitê popular" do campo, responsável pela administração das atividades municipais. "Ela será proibida de participar de quaisquer atividades. Precisamos proteger nossas crianças e nossa comunidade." A medida destaca a sensibilidade de muitos palestinos em relação ao reconhecimento do sofrimento dos judeus, temendo que isto enfraqueça os seus próprios ressentimentos históricos contra Israel. "O Holocausto aconteceu, mas nós estamos enfrentando um massacre parecido nas mãos dos próprios judeus", disse Hindi. "Perdemos nossa terra, fomos obrigados a fugir, e passamos os últimos 50 anos vivendo em campos de refugiados." Cerca de 6 milhões de judeus foram assassinados durante a campanha nazista que procurou exterminá-los da Europa. A necessidade urgente de encontrar um santuário para as centenas de milhares de sobreviventes deste genocídio catalisou a criação do Estado judaico após a 2.ª Guerra Mundial. Centenas de milhares de palestinos fugiram ou foram expulsos de suas casas durante a guerra que se seguiu à criação de Israel - um evento conhecido entre os palestinos como Naqba, ou Catástrofe. Hindi disse que os palestinos - especialmente neste campo de refugiados - sofreram nas mãos de Israel e exigiu que em primeiro lugar fossem reconhecidos seu próprio drama. O campo de refugiados localizado no norte da Cisjordânia foi o cenário de uma batalha travada em abril de 2002 na qual 23 soldados israelenses foram mortos, junto com 53 civis e militantes palestinos, durante vários dias de confrontos. No embate foram destruídos largos trechos do território do campo. Os residentes do campo são descendentes dos palestinos que foram desabrigados pela guerra de independência de Israel. Os jovens da modesta orquestra, cujas idades vão de 11 a 18 anos, se apresentaram na quarta feira para sobreviventes idosos na cidade israelense de Holon.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade