Publicidade

Correio Braziliense

Spam produz tanto dióxido de carbono quanto três milhões de carros

 


postado em 17/04/2009 11:49 / atualizado em 17/04/2009 11:50

PARIS - Os e-mails indesejáveis, conhecidos como "spam" e que inundam as caixas de correio eletrônicos, produzem a cada ano tanto dióxido de carbono (CO2) quanto 3,1 milhões de automóveis, segundo um estudo da empresa McAfee, especializada em segurança na internet. A empresa analisou o impacto ecológico de 62 bilhões de mensagens do tipo enviadas no mundo em 2008. "O spam consome 33 bilhões de kilowatts/hora (Kwh) ao fim das cinco etapas de sua vida: criação, envio, recepção, armazenamento e consulta", afirma um relatório. Isto equivale ao consumo de 2,4 milhões de residências americanas, com emissões de gases que provocam o efeito estufa equivalentes às produzidas por 3,1 milhões de automóveis. A seleção, visualização e exclusão das mensagens por internautas, assim como a busca dos e-mails "legítimos" interceptados por error pelos filtros instalados nos computadores, representam quase 80% do consumo de energia vinculado ao spam. A filtragem realizada pelos fabricantes de antivírus vale por 16%, operação "útil, mas que seria mais eficaz se o problema fosse tratado na origem", segundo o estudo. Para fundamentar a afirmação, o estudo cita o exemplo de um site (McColo) conhecido por sua importante contribuição à praga, cujo fechamento em novembro de 2008 permitiu reduzir, de um dia para outro, em 70% o volume mundial de spams. Ou seja, como se 2,2 milhões de automóveis tivesse sido retirados de circulação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade