Publicidade

Correio Braziliense

Helicópteros iranianos bombardeiam o Curdistão iraquiano

 


postado em 02/05/2009 10:47 / atualizado em 02/05/2009 10:47

SULEIMANIYEH - Helicópteros iranianos bombardearam neste sábado (02/05) pela primeira vez três povoados curdos do norte do Iraque, em um ataque contra separatistas curdos iranianos, declarou um chefe dos guardas de fronteira iraquianos. Os povoados atacados foram os de Kani Saif, Jomarasi e Kara Sozi, no distrito de Penjwin, alvo de disparados da artilharia iranianos. Helicópteros iranianos depois bombardearam os mesmos povoados, segundo a fonte. Os ataques eram dirigidos contra os combatentes de Pejak, um movimento independentista curdo iraniano que tem suas bases nas montanhas do Curdistão iraquiano. Até então, o distrito de Penjwin não era considerado um reduto do Pejak, acrônimo do Partido por uma Via Livre no Curdistão, já que os rebeldes se concentram mais ao norte, no setor de Qala Dizah. O Pejak está ligado ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que luta desde 1984 contra o governo turco no sudeste anatólio. Essas incursões acontecem uma semana depois da morte de 26 pessoas em violentos combates entre policiais iranianos e rebeldes curdos perto da fronteira iraquiana, segundo um novo balanço divulgado pela agência iraniana Isna. Mas se ignora no momento se há uma relação entre esses enfrentamentos e os bombardeios deste sábado. Dezoito dos mortos em 24 de abril eram policiais, declarou Alahyar Malekshahi, chefe da justiça da província iraniana de Kermanshah, fronteira com o Iraque. Também disse que os corpos de oito membros do Pejak foram achados nos locais dos enfrentamentos, enquanto que cinco suspeitos foram presos. O Irã acusa os Estados Unidos de apoiarem o Pejak, assim como outros organizações étnicas em suas fronteiras, o que Washington sempre desmentiu. As relações entre Bagdá e Teerã melhoraram muito desde a queda de Saddam Hussein, em 2003. Sob seu regime, Iraque e Irã travaram em 1980 uma guerra que deixou cerca de um milhão de mortos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade