Publicidade

Correio Braziliense

Israel: palestino que fingiu ser judeu é condenado por violação


postado em 20/07/2010 12:39

Um morador palestino de Jerusalém Oriental, que manteve relações sexuais com uma israelense fingindo ser judeu, foi condenado a 18 meses de prisão por "violação", depois de uma queixa apresentada pela mulher, informou nesta terça-feira (20/7) o jornal Haaretz.

O homem em questão, Sabbar Kachur, de 30 anos, admitiu ter mentido sobre sua identidade quando conheceu a demandante, em setembro de 2008, fazendo-a acreditar que era judeu, solteiro em busca de um relacionamento sério, quando, na realidade, era árabe e casado.

A jovem entrou com uma ação na justiça ao se deparar com a verdade.

O tribunal de Jerusalém, que julgou o caso na segunda-feira, além de condenar Sabar Kachur a 30 meses de prisão com direito a sursis, obrigou-o a indenizar a vítima.

Os magistrados consideraram que não se tratava de um "caso clássico de estupro, com uso da força", mas concluíram que o crime foi grave o suficiente para justificar uma condenação efetiva.

Em alguns países, entre eles os Estados Unidos há jurisprudência sobre casos desse tipo, assimilando o uso de falsa identidade para manter relações sexuais a uma violação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade