Publicidade

Estado de Minas

Primeiro-ministro da Tunísia defende pena de morte para o ex-presidente


postado em 04/03/2011 11:37 / atualizado em 04/03/2011 11:51

Brasília - O novo primeiro-ministro da Tunísia, Béji Caïd Essebsi, acusou nesta sexta-feira (4/3) o ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali de “alta traição”, crime que pode ser punido no país com a sentença de morte. Ali deixou o poder em 24 de janeiro sob pressão interna e externa, denunciado de corrupção e violação de direitos humanos. Ele fugiu para a Arábia Saudita com a família.

"Não tenho qualquer dúvida que o antigo presidente se tornou culpado de alta traição por ter renunciado a assumir a sua responsabilidade de garantir a segurança e a estabilidade e por ter deixado o país enquanto comandante-chefe das Forças Armadas", declarou Essebsi.

Em seguida, o primeiro-ministro insistiu que o crime de alta traição deve ser punido com a pena de morte na Tunísia. Essebsi não detalhou como as autoridades agirão para tentar processar o ex-presidente.

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade