Publicidade

Estado de Minas

Diplomatas britânicos deixam a Líbia


postado em 06/03/2011 18:16

Uma delegação de diplomatas britânicos que se deslocou a Benghazi, na região leste da Líbia, para estabelecer contatos com a oposição do governo do presidente da Líbia, Muammar Khadafi, deixou o país depois de ter tido uma série de dificuldades no país africano, divulgou hoje o governo britânico.

“Posso confirmar que uma pequena delegação de diplomatas britânicos esteve em Benghazi”, afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, William Hague, em comunicado.

“A delegação deslocou-se à Líbia para estabelecer contatos com a oposição. A comitiva encontrou algumas dificuldades, que já foram resolvidas de forma satisfatória”, acrescentou o chefe da diplomacia britânica, sem especificar a natureza dos problemas.

Informações divulgadas pela comunicação social britânica confirmam que um diplomata e militares britânicos foram detidos na Líbia quando chegaram a uma zona controlada pelos insurgentes líbios.

O porta-voz do Conselho Nacional líbio, Abdul Hafiz Ghoqa, esclareceu que os representantes da oposição recusaram-se a falar com os representantes britânicos, porque eles teriam entrado no país de forma ilegal.

“Recusamo-nos a conversar com eles devido à forma como entraram no país”, disse o porta-voz do conselho. Segundo Ghogam, a natureza da missão britânica era desconhecida.

O Conselho Nacional, criado para representar os insurgentes líbios, realizou no sábado a sua primeira reunião oficial. O órgão, cuja criação foi anunciada em fevereiro, é integrado por representantes de todas as cidades controladas pelo movimento contrário ao regime de Khadafi.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade