Publicidade

Estado de Minas

Pentágono duvida da capacidade dos afegãos de se autogovernar


postado em 07/09/2011 13:42

Washington - As tropas comandadas pelos americanos permitiram enfraquecer os talibãs, mas o Afeganistão e sua capacidade de se governar continuam sendo motivo de preocupação para o Pentágono, afirmou o secretário de Defesa, Leon Panetta.

"Esperamos maiores ofensivas (dos talibãs) neste ano", afirmou Panetta em uma entrevista concedida na noite de terça-feira (6/9) à rede de televisão pública americana PBS.

"O fato de que não tenham ocorrido já se explica por nossa ação. Graças a um reforço da segurança, reduzimos consideravelmente a influência dos talibãs", acrescentou.

O chefe do Pentágono insistiu, por sua vez, sobre o envolvimento cada vez maior das forças de segurança afegãs junto às tropas estrangeiras da Otan.

"Cumprimos nosso objetivo, (os afegãos) fazem seu trabalho", afirmou Panetta, admitindo estar "aliviado" por esta transferência de responsabilidade sobre a segurança, que deve ter fim em 2014.

No entanto, "a maior interrogação" continua sendo o governo afegão e a capacidade do país de se dotar de uma administração "capaz de dar estabilidade para o futuro", disse.

De qualquer forma, Panetta comemorou a ação do presidente Hamid Karzai, que tenta lutar contra a corrupção.

Cerca de 100 mil soldados da Otan estão mobilizados no Afeganistão e 33 mil devem ser repatriados no próximo ano.

Agosto foi o mês mais mortífero para as forças americanas no Afeganistão, com 69 militares mortos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade