Publicidade

Correio Braziliense

Cristina Kirchner insiste em soberania argentina sobre Malvinas

Kirchner recebeu respostas negativas em cartas enviadas a autoridades do Reino Unido. Em março, a população das Malvinas decide, em plebiscito, se vai permanecer sob domínio britânico


postado em 18/01/2013 08:18 / atualizado em 18/01/2013 08:29

Cristina Kirchner passa realiza viagem pela Ásia e Oriente Médio(foto: Mehdi Taamallah/AFP - 14/6/12)
Cristina Kirchner passa realiza viagem pela Ásia e Oriente Médio (foto: Mehdi Taamallah/AFP - 14/6/12)
Na sua viagem pelo Oriente Médio e a Ásia, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, reiterou o pedido para que o Reino Unido dialogue sobre o controle das Ilhas Malvinas. Antes de deixar a Argentina, ela enviou carta às autoridades britânicas cobrando o diálogo e recebeu respostas negativas. Desde o século 19, argentinos e britânicos disputam a soberania das ilhas. A presidente quer a interferência da comunidade internacional no assunto.

Em março, haverá um plebiscito nas Malvinas para que a população decida se deseja permanecer sob domínio britânico ou passar para o controle argentino. Na sua visita ao Oriente Médio e à Ásia, Cristina Kirchner defendeu a ampliação do Conselho de Segurança das Nações Unidas. A exemplo do Brasil, a Argentina quer ter assento permanente no órgão.

Segundo a presidente, a presença da Argentina no Conselho das Nações Unidas reflete a atual “realidade global”. O órgão é formado por 15 países – dos quais cinco têm assentos permanentes e dez rotativos, que são substituídos a cada dois anos. A estrutura do conselho é do período pós-Segunda Guerra Mundial.

Leia mais notícias em Mundo

Cristina Kirchner apelou ainda para que a União Europeia e a Organização Mundial do Comércio (OMC) sigam “regras claras para todos”, adotando medidas de “transparência e igualdade”. O apelo refere-se às medidas de protecionismo adotadas por alguns países e aos permanentes embates sobre o tema.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade