Publicidade

Correio Braziliense

Washington condena violência sexual contra manifestantes no Egito

Os EUA criticaram as autoridades egípcias por declararem que a responsabilidade pelo aumento da violência seja das próprias mulheres


postado em 29/03/2013 17:04

Os Estados Unidos manifestaram nesta sexta-feira a sua preocupação com o aumento da violência sexual contra mulheres manifestantes no Egito e criticou as autoridades locais por afirmarem que a responsabilidade nesse sentido é das próprias mulheres.

A reação da Casa Branca ocorreu depois que vários meios da imprensa, entre eles a AFP, divulgaram depoimentos de mulheres sobre estupros e outras formas de violência sexual praticadas por grupos de homens durante manifestações posteriores à rebelião de 2011.

Leia mais notícias em Mundo


Essas mulheres que ousaram falar também destacaram que os líderes islamitas explicavam essas agressões pelo fato de elas terem se atrevido a se misturar com os homens.

Um porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, declarou que a administração do presidente Barack Obama está "muito preocupada" com a questão.

"As agressões sexuais, incluindo os estupros, ocorreram durante manifestações recentes no Egito", lembrou Earnest no Air Force One, a bordo do qual Barack Obama viaja para a Flórida (sudeste).

Earnest afirmou que o governo egípcio deveria adotar medidas para impedir a violência sexual e levar os responsáveis à justiça.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade