Publicidade

Correio Braziliense

Justiça egípcia se nega a suspender programa de sátiras políticas

Uma denúncia apresentada na justiça pedia a suspensão do famoso programa de sátiras políticas do humorista Bassem Yussef


postado em 06/04/2013 12:37

Cairo - O Tribunal Administrativo egípcio rejeitou neste sábado (6/4) uma denúncia apresentada na justiça que pedia a suspensão do famoso programa de sátiras políticas do humorista Bassem Yussef e o fechamento da rede CBC, que o transmite, segundo fontes judiciais.

Um advogado islamita apresentou a denúncia e acusou Bassem Yussef de sarcasmo e de ridicularizar o presidente Mohamed Mursi. O demandante afirma também que o programa subestima os telespectadores e o presidente e prejudica os símbolos do Estado e os valores e princípios da sociedade.

Leia mais notícias de Mundo

A denúncia solicita a retirada da licença da CBC, fazendo referência a irregularidades cometidas pelo canal que transmite o programa de Bassem Yussef.

No entanto, o Tribunal Administrativo considerou que o denunciante não tem autoridade para processar e a desestimou.

Na sexta-feira à noite, Bassem Yussef voltou à televisão no seu programa semanal, pela primeira vez depois de ter sido interrogado pela justiça no domingo passado após uma denúncia por insulto ao Islã e ao chefe de Estado.

O humorista foi interrogado por cerca de cinco horas pela Procuradoria antes de ser liberado após o pagamento de uma fiança de 15.000 libras egípcias (1.700 euros).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade