Publicidade

Estado de Minas

Oslo chega a acordo para construir novo museu para obras de Edvard Munch

O município de Oslo discutia há vários anos sobre o local, o aspecto, o custo e inclusive sobre a necessidade de construir um novo museu


postado em 28/05/2013 12:03 / atualizado em 28/05/2013 12:38

Um novo museu será construído para abrigar as obras do artista, em especial dois exemplares da obra-prima
Um novo museu será construído para abrigar as obras do artista, em especial dois exemplares da obra-prima "O Grito" (foto: Mike Segar/Reuters)

Oslo - O município de Oslo anunciou nesta terça-feira um acordo, após anos de divergências, para a construção de um novo museu destinado a receber a maior coleção de obras do pioneiro norueguês do expressionismo, Edvard Munch. De acordo com um compromisso político que lhe garante uma maioria, três formações de direita e de centro-direita e um partido de esquerda se reuniram ao redor do projeto chamado Lambda, um edifício futurista situado nas margens do fiorde de Oslo, perto da nova ópera.

O município de Oslo discutia há vários anos sobre o local, o aspecto, o custo e inclusive sobre a necessidade de construir um novo museu para abrigar as obras de Munch (1863-1944), em especial dois exemplares da obra-prima "O Grito". A coleção, que inclui 1.100 pinturas, 3.000 desenhos e 18.000 gravuras, encontra-se por enquanto em um velho edifício dos arredores, onde em 2004 ocorreu um roubo espetacular de "O Grito" e "Madonna", encontrados dois anos mais tarde.



Depois de ter optado por uma transferência em 2008, e um ano depois pelo projeto Lambda, a maioria em torno ao projeto seguiu bloqueada. O bloqueio era tão incômodo que a Noruega celebra neste ano o 150º aniversário do nascimento de seu pintor mais famoso, enquanto o atual museu Munch vive graves dificuldades orçamentárias.

Leia mais notícias em Mundo

Para sair do impasse, o governo norueguês mostrou-se disposto a participar do financiamento de um novo museu cujo custo é calculado em 215 milhões de euros. Segundo o compromisso anunciado nesta terça-feira, os responsáveis políticos colocaram em andamento o Lambda por meio de uma reabilitação cultural e social do bairro relativamente pobre de Toeyen, onde o atual museu está situado. O futuro museu deve ficar pronto em 2018.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade