Publicidade

Estado de Minas

Necrópsia mostra que jogadora holandesa foi morta com golpe na cabeça

Visser, de 35 anos, e seu namorado Lodewijk Severein, de 57, desapareceram em 13 de maio na região de Murcia. A polícia encontrou os corpos das vítimas no domingo


postado em 31/05/2013 14:00 / atualizado em 31/05/2013 14:10

Madrid - A ex-jogadora de vôlei holandesa Ingrid Visser e seu namorado, que tiveram seus corpos encontrados domingo na Espanha, morreram ao serem atingidos violentamente na cabeça, de acordo com os resultados preliminares da necrópsia anunciados nesta sexta-feira (31/5).
 
Chaine Staelens e Ingrid Visser comemoram ponto marcado contra a Polônia durante semifinal de campeonato europeu, em 2009 (foto: Peter Andrews/Reuters)
Chaine Staelens e Ingrid Visser comemoram ponto marcado contra a Polônia durante semifinal de campeonato europeu, em 2009 (foto: Peter Andrews/Reuters)

 
"Os primeiros resultados da necropsia confirmaram a morte violenta das duas pessoas por traumatismo craneoencefálico, provocados por uma pancada na cabeça", indicou um porta-voz do tribunal de Murcia. Visser, de 35 anos, e seu namorado Lodewijk Severein, de 57, desapareceram em 13 de maio na região de Murcia. Na noite de domingo, os investigadores descobriram os corpos de um homem e de uma mulher enterrados em uma plantação de limões na região.

Leia mais notícias em Mundo

De acordo com os primeiros resultados, relacionados a análises do crânio e dos ossos, foi possível estabelecer a identidade das vítimas, mas os exames de DNA ainda não ficaram prontos, segundo o porta-voz. Três pessoas, um espanhol de 36 anos e dois romenos de 47 e 60 anos, foram colocados sob custódia. O primeiro por "duplo homicídio". O espanhol detido é ex-gerente do Club de Voleibol 2005 de Murcia, onde Visser jogou entre 2009 e 2011.

A polícia declarou apenas que investiga "divergências relacionadas a negócios" que o casal holandês mantinha com os homens detidos. O desparecimento de Visser causou comoção na Holanda, onde ficou famosa por ter disputado mais de cem partidas com a seleção local de vôlei. Familiares da ex-jogadora, que lançaram um site para recolher informações sobre o caso, viajaram à Espanha para ajudar nas investigações. Visser já jogou no Brasil pelo Minas entre 1997 e 1998.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade