Publicidade

Estado de Minas

Google quer divulgar pedidos de informação do governo dos EUA

O gigante de Internet publicou a carta enviada ao FBI e ao Departamento de Justiça americano, na qual pedem autorização para divulgar os números relacionados à entrega de dados para os programas secretos revelados na última semana pela imprensa e que causaram polêmica no mundo todo


postado em 11/06/2013 19:58

Washington - O Google pediu ao governo dos Estados Unidos, nesta terça-feira (11/6), permissão para publicar informações sobre seu cumprimento dos mandados judiciais a respeito de dados secretos de segurança nacional. A empresa garante que não tem "nada a esconder".

O gigante de Internet publicou a carta enviada ao FBI e ao Departamento de Justiça americano, na qual pedem autorização para divulgar os números relacionados à entrega de dados para os programas secretos revelados na última semana pela imprensa e que causaram polêmica no mundo todo.

A carta, assinada pelo diretor legal do Google, David Drummond, ressalta que o atual "relatório de transparência" da empresa sobre os pedidos de informação do governo não inclui os pedidos de segurança nacional sob a Lei de Vigilância de Inteligência Estrangeira (FISA, na sigla em inglês).

Leia mais notícias em Mundo

"As afirmações na imprensa no sentido de que nosso cumprimento a essas solicitações dá ao governo dos EUA acesso sem restrições aos dados dos nossos usuários são simplesmente falsas", escreveu Drummond. "As obrigações de confidencialidade do governo a respeito do número de pedidos de segurança nacional (sob o amparo da lei FISA) que o Google recebe, assim como o número das contas contempladas nessas solicitações, alimentam a especulação", acrescentou.

Drummond disse que o Google gostaria de incluir "números agregados de solicitações de segurança nacional", incluindo aquelas que foram realizadas sob a FISA, e acrescentou que os números "mostrariam claramente que nosso cumprimento dessas solicitações está muito longe das afirmações que estão sendo feitas. O Google não tem nada a esconder".

O Google é uma das principais empresas de Internet identificadas como participantes no programa PRISM, uma vasta operação de vigilância destinada a identificar os estrangeiros que representam uma ameaça para os Estados Unidos. Outras empresas no programa são Microsoft, Yahoo!, Facebook, Apple e AOL.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade