Publicidade

Estado de Minas

Aos 33 anos, xeique do Catar é o líder mais jovem do mundo árabe


postado em 30/06/2013 06:33 / atualizado em 30/06/2013 09:50

Pequeno no tamanho e grande na influência, o Catar começou uma nova era política que tentará equilibrar as demandas internas por desenvolvimento e o importante papel exercido pelo país no instável Oriente Médio. Na última terça-feira, o xeque Tamim bin Hamad Al-Thani herdou o poder do pai, Hamad bin Khalifa Al-Thani, que abdicou em uma atípica transição e, aos 33 anos, tornou-se o líder mais jovem do mundo árabe. Nos oito anos em que esteve no poder, Hamad foi responsável por uma transformação econômica, tornando o Catar uma das nações mais ricas do planeta. Seu filho, o novo emir, assume a liderança com a responsabilidade de dar seguimento ao trabalho do pai, mas a uma velocidade maior, a fim de acompanhar o rápido crescimento do país. O xeque Tamim, porém, não é um novato na política catariana. Michael Stephens, especialista do Instituto para Estudos de Defesa e Segurança Royal United Services, baseado em Doha, explicou ao Correio que, nos últimos três anos, ele tem aumentado sua participação e comandado várias áreas do governo e da sociedade. Importantes decisões tomadas recentemente contaram com o seu aval. Sua mãe, a segunda das três mulheres de Hamad, Mozah bint Nasser Al-Missned, tem também papel central à frente da influente Fundação Catar.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade